Deu ruim! Ação da Adidas com o Arsenal vira palco de ofensas racistas

Internautas usaram ferramenta para espalhar mensagens de ódio nas redes sociais

Relacionadas

Uma ação foi pensada para marcar o início da parceria entre o Arsenal e a Adidas, mas nem tudo correu como as marcas queriam. A fornecedora lançou o novo uniforme do clube inglês e propôs uma maneira de animar os torcedores: uma ferramenta que permitia os torcedores de personalizarem o uniforme titular com seus nomes.

Pelo Twitter, a Adidas convidou os adeptos do Arsenal a responderem a uma publicação com a hashtag #DareToCreate. A partir daí, uma camisa seria criada automaticamente com o nome do perfil do torcedor. No entanto, nem todos colocaram seus nomes reais.

Houve também quem aproveitou a oportunidade para espalhar mensagens de ódio nas redes sociais. Como foi o caso de algumas das contas que aceitaram o desafio. Assim que percebeu o rumo da campanha, a Adidas retirou a ação da rede social, pediu desculpas, prometeu uma investigação e explicou o motivo. "Devido a uma minoria que fez versões ofensivas".

Foram criados exemplos negativos como @GasAllJewss, em referência às câmaras de gás usadas para matar os judeus na 2ª Guerra Mundial, @96wasnotenough, que se refere à tragédia de Hillsborough que matou 96 torcedores do Liverpool, e @inonocenthitler, clamando a inocência de Hitler.

O clube britânico também se posicionou contra o tipo de mensagens disseminadas por parte de seus torcedores. "Condenamos totalmente o uso de linguagem desta natureza que não tem lugar no futebol ou na sociedade". O Arsenal teve uniformes da Adidas de 1986 a 1994. Até a última temporada, o contrato era com a Puma.

MAIS SOBRE:

futebolArsenal Football Club [Inglaterra]Adidasracismo
Comentários