'É estranho que pessoas de cor atuem pela seleção', diz atacante russo

Pavel Pogrebnyak critica presença de estrangeiros e questiona inclusão do brasileiro Ari em convocações

Relacionadas

O atacante russo Pavel Pogrebnyak, que joga pelo FK Ural, deu declarações de cunho racista e xenófobo em entrevista a um jornal de Ecaterimburgo. O atleta de 35 anos questionou a presença de jogadores naturalizados na seleção do país e citou especialmente pessoas de cor, incluindo o brasileiro Ari.

"É estranho que pessoas de cor atuem pela seleção russa. Tenho uma opinião negativa a respeito (das naturalizações). Não vejo sentido. Por que deram um passaporte russo a Ari?", perguntou Pogrebniak durante entrevista ao jornal Sports Express. O russo também criticou a presença de outro brasileiro, Mário Fernandes, pois, segundo ele, há atletas nascidos russos com qualidade na lateral direita e não haveria necessidade de estrangeiros no time.

A fala foi criticada por pessoas que trabalham pela inclusão e pelos direitos humanos. "As declarações são muito questionáveis e claramente não estão em concordância com os princípios da campanha mundial contra o racismo. Não se pode definir o lugar de um futebolista em uma seleção baseando-se na cor da pele", afirmou Alexandr Baranov, chefe do Departamento de Luta Contra a Discriminação da UFR (União de Futebol da Rússia). O jogador pode ser suspenso ou multado devido às declarações.

Mikhail Fedotov, dirigente do Conselho Presidencial para os Direitos Humanos, afirmou à estação de televisão 360tv.ru que as falas deixam a impressão de racismo. O jogador recebeu apoio do presidente do FK Ural, Grigory Ivanov, que concordou com o que Pogrebniak disse.

Ari é atacante e joga na Rússia desde 2010. Já passou pelo Spartak Moscou e pelo Lokomotiv Moscou, e hoje atua pelo Krasnodar, clube pelo qual é ídolo e onde está fazendo boas temporadas. Naturalizou-se russo em julho de 2018 e, após receber o passaporte do país, foi convocados para dois amistosos da seleção por Stanislav Cherchesov em novembro de 2018. Não foi chamado para os próximos jogos da equipe por estar lesionado.

Se Ari não estará em campo, outros jogadores naturalizados russos como Mário Fernandez, o goleiro brasileiro Guilherme e os alemães Rausch e Neustadter devem atuar pela equipe.

MAIS SOBRE:

futebolseleção russa masculina de futebolMário Fernandesracismo
Comentários