Em decisão, juiz afirma que o Palmeiras 'sequer tem título mundial'

Torcedor do clube alviverde movia ação contra a Adidas por danos morais

Relacionadas

Não são só algumas novelas do mercado que parecem não ter fim, o mesmo acontece com as piadas com o Mundial do Palmeiras. Dessa vez, a decisão de um juiz brasileiro que abriu uma brecha para o tema voltar a ser comentado nas redes sociais. Não entendeu nada? Calma que o FERA explica.

De acordo com os sites Migalhas e Lance!, o juiz Maximiliano Darci David Deitos, da 1ª vara do JEC de Ji-Paraná/RO, foi o responsável por julgar a ação de um torcedor contra a Adidas. No processo, o palmeirense pedia reparo moral por sua compra ter sido cancelada pela falta de estoque.

O torcedor tentou comprar uma camisa do clube alviverde, versão 2016, na loja online da antiga fornecedora de materiais do time. No entanto, recebeu a informação da empresa de que o produto não estava mais disponível no estoque. Sua compra foi, então, cancelada e o valor pago foi estornado.

No entendimento do magistrado, não cabe danos morais por uma situação corriqueira como o cancelamento de uma compra por falta de mercadoria disponível. "Por mais que o requerente seja fanático torcedor do seu time, a simples fato do cancelamento da venda da camisa especial não dá ensejo aos danos morais", afirmou em um trecho da decisão. 

"A camisa sequer é item essencial para ensejar a entrega obrigatória, ou, na sua impossibilidade, ensejar os danos morais. Embora alegue que seja colecionador das camisas de um time que sequer tem título mundial, não demonstrou nos autos. Ademais, em nada impede que adquira o produto por meio de terceiros", justificou. 

MAIS SOBRE:

futebolAdidasPalmeirasMundial de Clubes
Comentários