Em sua última preleção, Zé Roberto jogou medalhas no lixo: 'Pensem no legado'

'Joguem por mim essa noite', pediu o lateral antes de sua última partida da carreira

Relacionadas

Logo que chegou ao Palmeiras, Zé Roberto ficou famoso por uma preleção onde pedia para que cada membro do elenco e da direção presente ao vestiário alviverde batesse no peito do colega e dissesse que "o Palmeiras é grande". 

Nesta segunda-feira, 27, em sua última partida pelo clube, ele novamente disse palavras marcantes, desta vez emocionantes, levando muitos de seus companheiros à lágrimas. Citando família, amigos no futebol e jogando algumas de suas medalhas literalmente no lixo, Zé Roberto deixou as conquistas de lado e pediu para que seu colegas priorizassem o legado que deixariam no futebol. 

 

+ Casa de apostas 'valida' gol de Messi e vai pagar a quem apostou no Barça

+ Conheça Maria Komandnaya, que apresentará o sorteio da Copa

+ Siga o Fera no Twitter!

 

 

CONFIRA NA ÍNTEGRA À ÚLTIMA PRELEÇÃO DE ZÉ ROBERTO NO PALMEIRAS

"Rapaziada, eu queria aproveitar esse último tempo, (últimos) minutos, para agradecer. Só quero agradecer, presidente, Cícero (Souza, gerente de futebol), Alexandre (Mattos, diretor de futebol), agradecer à comissão técnica, staff, preparadores físicos, quero agradecer ao pessoal da massagem, aos roupeiros. Hoje para mim a noite é de gratidão, apesar que num momento como esse, ao qual eu tentei o máximo prolongar. Mas eu sabia que esse momento um dia ia chegar. Sabe por quê? Porque isso aqui, rapaziada, eu vivi isso aqui intensamente. Futebol foi a minha vida. E quando falo de futebol, quero trazer à memória de vocês o que nos dá esperança nessa noite. 

A esperança é que um dia, quando era criança, jogando bola na rua descalço, eu sonhei um dia ser jogador. Realizei o sonho, tive conquistas e cheguei no meu máximo. Foi difícil tomar essa decisão e esse tempo, rapaziada, vai chegar na vida de cada um que está aqui. Mas eu quero deixar uma palavra para cada um de vocês. Vivam isso aqui intensamente porque passa rápido e quando menos a gente espera, chegou o dia do triunfo, de um carreira vitoriosa. 

Eu saio daqui nessa noite sem ter mancha na minha carreira. Eu saio daqui nessa noite não apresentando para vocês conquistas, fama, títulos, dinheiro, não. Sabe por quê? Porque a fama um dia ela vai embora - (aponta e pede) o lixo, o lixo. Um dia, os títulos, eles são esquecidos. Então o que quero fazer com vocês nessa noite (pega o cesto de lixo) é que as minhas credenciais, se um dia elas vão ser esquecidas, eu quero jogar as minhas credenciais dentro do lixo (joga documentos no cesto). Porque pra mim não é o mais importante que tenho. Nesta noite, se eu não tenho a coisa mais importante na minha vida, que são a medalhas (pega as medalhas) eu jogo elas no lixo (coloca no cesto). Sabe por que? Porque um dia isso aqui acaba, é esquecido. 

Mas o que eu quero deixar nessa noite aqui é um legado, porque um legado ele se arrasta. E eu sei que se esse legado chegar dentro da sua casa, vai contagiar o seu filho. Se contagiar seu filho, vai contagiar o bairro. Se contagiar o bairro, vai contagiar a cidade. Se contagiar a cidade, vai contagiar o Brasil, o País ao qual nós estamos carentes de ídolos, de exemplos e de pessoas que têm perseverança. 

Eu queria finalizar a minha noite aqui, se talvez eu pudesse fazer um pedido para cada amigo que eu fiz nesses dois anos aqui, eu queria pedir pra vocês: joguem por mim nessa noite, e vamos ser felizes."

 

 

MAIS SOBRE:

futebolZé RobertoPalmeiras
Comentários