Ex-presidente do Tottenham é acusado de racismo contra seleção do Senegal

Alan Michael Sugar associou os jogadores com vendedores ambulantes e foi alvo de críticas

Relacionadas

Alan Michael Sugar, ex-presidente do Tottenham, foi acusado de racismo após usar o seu perfil no Twitter para publicar montagem com a foto da seleção do Senegal e produtos que são vendidos na rua. "Reconhecia alguns desses caras da praia de Marbella", escreveu o dirigente.

+ Atacante 'galã da Copa' ganha mais seguidores que a população do seu país

+ Memes: internet se rende à atuação de CR7 em vitória de Portugal

+ Narrador, comentarista e jogador choram ao ouvir hino do Panamá

Sugarfez associou os jogadores da seleção com vendedores ambulantes e foi alvo de críticas por parte dos seus seguidores nas redes sociais. Veja o post original:

Após a repercussão, Sugar afirmou que tudo não passou de uma brincadeira e removeu a postagem de sua conta. "Acabei de ler a reação ao meu tweet engraçado sobre os caras na praia em Marbella. Parece que fui interpretado de forma errada, como ofensivo por algumas pessoas. Francamente eu não consigo ver. Mas eu vou remover já que insistiram", escreveu.

Depois de dizer que era brincadeira, o ex-dirigente pediu desculpas em uma nova publicação. "Eu julguei errado meu tuíte de mais cedo. Minha intenção não era ofender, e claramente minha tentativa de fazer graça foi rebatida. Deletei o tuíte e peço muitas desculpas".

MAIS SOBRE:

FutebolCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]Seleção Senegalesa masculina de futebolAlan Michael Sugarracismo
Comentários