Ex-zagueiro do São Paulo relata ter vendido medalha do Mundial por cocaína

Flávio Donizete conseguiu largar o vício com ajuda da família e hoje recebe ajuda de ex-companheiros do tricolor

Relacionadas

Embora não tenha entrado em campo, o ex-zagueiro Flávio Donizete estava entre os jogadores do São Paulo que participaram da conquista do Mundial de Clubes em 2005, sobre o Liverpool. Então com 21 anos, aquele jovem passaria por maus momentos posteriormente, causados pelo vício em cocaína, que o levou até mesmo a fazê-lo vender a medalha do título.

"Eu usava igual louco. Aí quando eu vendi (a medalha), chegou o dinheiro e torrei quase tudo na cocaína. Na primeira pancada foi mil reais de cocaína. E eu usei em dois dias. Deu ataque, coisa no coração... O vício falava mais alto, mais forte. Quanto mais dinheiro eu tinha, mais queria", contou Donizete ao site globoesporte.com.

Segundo Donizete, ele começou a usar a droga em 2010, quando já tinha saído do São Paulo. O vício teria levado até a roubar dinheiro do irmão e a faltar comida em casa, onde ele vivia com a esposa e as filhas. Felizmente, ele conseguiu superar esta situação e hoje garante estar "limpo", ainda vivendo com a família.

Alguns ex-companheiros de time o ajudam no momento. "O Mineiro, o Borges me ajudou bastante, o Richarlyson me ajudou. Mas assim, nesse tempo que estou aqui quem que me deu mais força foram o Hernanes e o Mineiro. O Hernanes ajudou tanto com conselhos e financeiramente. Uns três, cinco meses atrás o Hernanes depositava R$ 2 mil para eu conseguir me manter lá em Ribeirão e para me manter aqui em Americana. Como a situação estava um pouco difícil, eu não estava trabalhando, fazia um bico... Mas eles me ajudaram para caramba. E o Mineiro tem me ajudado até hoje", relatou Donizete.

Donizete participou do Mundial por conta de duas lesões, a de Alex Bruno, que abriu a possibilidade dele viajar ao Japão, e a de Leandro Bonfim, que permitiu que ele fosse inscrito. Mas o zagueiro não participou de nenhum dos dois jogos daquela campanha, contra Al-Ittihad e Liverpool.

No entanto, o atleta não conseguiu se firmar no time tricolor e foi emprestado diversas vezes, passando por times como América de Ribeirão Preto e Atlético de Alagoinhas. Após o término do contrato com o São Paulo, em 2009, Donizete atuou apenas pelo Taboão da Serra em 2015 e pela Portuguesa em 2019.

Hoje, Donizete mora em Americana, onde estaria treinando para atuar no profissional Rio Branco, time da cidade, em 2021 - atualmente, o clube tem apenas as categorias de base. Como a pandemia do coronavírus impediu os treinos, o ex-zagueiro tem trabalhado como jardineiro. A medalha foi recuperada durante uma participação de Donizete no programa Esporte Fantástico, da TV Record.

MAIS SOBRE:

futebolSão Paulo Futebol ClubecocaínaMundial de Clubes
Comentários