Família ficou milionária por viver nas sombras do novo Stamford Bridge

Estádio custará cerca de 1 bilhão de libras e aumentará sua capacidade para 60 mil espectadores

Relacionadas

O aposentado Nicholas Crosthwaite se queixou que a gigantesca nova estrutura bloquearia a luz de sua casa, que fica a poucos metros da traseira do novo terreno. Isso fez com que as obras de remodelação do Stamford Bridge fossem interrompidas, de acordo com informações do The Sun.

Flamengo envia bandeira de luto e coroa de flores ao velório de Marielle Franco

Carro usado por Ayrton Senna em estreia na Fórmula 1 vai ser leiloado

Esporte Interativo sobre repórter assediada ao vivo: 'Não é mimimi'

No entanto a família Crosthwaite chegou a um acordo com o Chelsea. Antes, o banqueiro e sua mulher haviam pediram 20 milhões de libras. O proprietário do Chelsea, Roman Abramovich, recusou-se a ceder às enormes exigências, e disse que o clube só pagaria 1 milhão de libras no acordo (cerca de 4,5 milhões de reais).

O impasse levou a uma longa batalha legal que ameaçou esmagar todo o projeto, que o clube acredita é vital para que eles possam acompanhar os maiores clubes do futebol mundial. O novo estádio, desenhado pela empresa suíça Herzog & de Meuron, custará cerca de 1 bilhão de libras (cerca 4,5 bilhões de reais) e aumentará sua capacidade para 60 mil espectadores. 

 

A tentativa de obter uma liminar do Supremo Tribunal que bloquearia completamente o trabalho de construção atrasou as esperanças do Chelsea de estar em sua nova casa no início da temporada 2023-24. No entanto, no mês passado, foi determinado que a propriedade em questão inclui também o espaço aéreo acima do terreno.

Isso enfraqueceu seriamente a posição da família, e eles finalmente abandonaram a luta. Um porta-voz do Chelsea disse: "O Chelsea chegou a um acordo para resolver os processos judiciais em curso em relação aos direitos à luz. Os detalhes do acordo são confidenciais." 

O clube agora pode avançar com seus planos, com todas as permissões de planejamento no local. A reconstrução deve levar até três anos, o que faz com que o Chelsea precise encontrar um estádio em Londres para usar temporariamente. Wembley é o favorito para assumir esse papel. No entanto, o Estádio Olímpico de Londres e o Estádio de Twickenham, usado para o rugby, foram descartados. 

MAIS SOBRE:

futebolChelseaRoman Abramovich
Comentários