Fifa adota medidas para diminuir discriminação dentro do futebol

Série de atitudes será tomada a partir da Copa das Confederações, que começam no sábado

Relacionadas

A Fifa anunciou que, pela primeira vez na história, utilizará um conjunto de três medidas contra discriminação em um torneio oficial. A ação acontecerá na Copa das Confederações deste ano e terá também observadores anti-discriminação em todas as partidas da competição. Desta maneira, quando identificado o ato discriminatório, o árbitro poderá parar a partida e pedir um anúncio público no estádio, a fim de encerrar a discriminação, suspender o jogo até que o ato pare, juntamente com outra advertência e, caso necessário, abandonar a partida, como uma atitude mais drástica.

Para isso, é de extrema importância o trabalho dos observadores, que estarão monitorando o comportamento dos torcedores das duas seleções. Caso existam ocorrências, os dados serão reunidos e enviados para o Comitê Disciplinar da entidade, onde ocorrerá uma análise e possível punição.

"Estas são mudanças inovadoras na luta global contra a discriminação, que marcará a edição de 2017 da Copa das Confederações. Ambas as iniciativas são ferramentas extras para os árbitros evitarem atitudes discriminatórias e garantirem que a atmosfera no estádio seja de brincadeira e respeito", explicou o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Sede da Copa das Confederações desta temporada e da Copa do Mundo de 2018, a Rússia será o primeiro país a receber o pacote de medidas. De acordo com o vice-primeiro ministro e presidente da federação russa, Vitaly Mutko, será uma honra. "Estamos satisfeitos que a Rússia tenha sido encarregada na missão de implementar tais iniciativas com o objetivo de melhorar o futebol mundial. Este é um papel muito honorável e uma grande responsabilidade."

Para ajudar na nova campanha, a Fifa também está preparando um vídeo que será transmitido nos telões dos jogos, com estrelas do futebol mundial passando mensagens contra a discriminação. Já nas semifinais que acontecem nos dias 28 e 29 de junho, em Kazan e Sochi, respectivamente, serão celebrados os Dias Antidiscriminação da Fifa, com uma cerimônia antes da bola rolar.

MAIS SOBRE:

FutebolFifaGianni InfantinoCopa das ConfederaçõesCopa do MundoRússiaVitaly MutkofutebolRacismo
Comentários