Fifa repreende Maradona por críticas à arbitragem de Colômbia x Inglaterra

Ídolo argentino classificou a atuação de Mark Geiger de 'roubo monumental'

A Fifa repreendeu nesta quarta-feira as críticas feitas por Diego Maratona à arbitragem da partida entre Colômbia e Inglaterra, nesta terça, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. O ídolo argentino classificou a atuação do norte-americano Mark Geiger de "roubo monumental".

+ Ações da Juventus têm alta na Itália após rumores sobre contratação de CR7

+ Maradona chama vitória da Inglaterra contra Colômbia de 'roubo monumental'

+ Façam suas apostas: quem vence os confrontos das quartas de final da Copa?

A entidade máxima do futebol, que tem Maradona como um dos seus embaixadores, "repreendeu fortemente" as declarações e afirmou que suas "insinuações são totalmente inapropriadas e completamente sem fundamento". "A Fifa lamenta profundamente ler tais declarações de um jogador que faz parte da história do futebol", declarou a entidade, em comunicado.

Mais cedo, nesta quarta, Maradona chamou de "roubo monumental" a atuação do árbitro, em seu programa de tevê na Telesur, da Venezuela. "Hoje, vi um roubo monumental em campo. Peço desculpas a todo o povo colombiano, mas os jogadores não têm culpa. Este juiz não pode dirigir uma partida da magnitude da que jogava o povo colombiano nestas oitavas de final", declarou.

Maradona não foi o único a fazer críticas deste tipo. O atacante Falcao García, o zagueiro Yerry Mina e o técnico da Colômbia, José Pékerman, classificaram de "vergonhosa" a atuação do juiz, que teve desempenho polêmico ao marcar um pênalti para o time inglês e tomar decisões controversas no empate por 1 a 1, que durou os 90 minutos e a prorrogação - os ingleses venceram por 4 a 3 nos pênaltis.

As críticas marcam mais um episódio polêmico de Maradona em solo russo neste Mundial. Nesta Copa, o ídolo argentino já virou notícia por fumar um charuto em área proibida dentro de estádio e fazer gestos obscenos na arquibancada, após vitória da Argentina, na fase de grupos.

A nova controvérsia atinge diretamente sua relação com a Fifa porque ele é oficialmente um embaixador da entidade, considerado uma das "Lendas" do programa da Fifa de valorização de jogadores ilustres. Além disso, está na Copa assistindo aos jogos como convidado VIP.

 

MAIS SOBRE:

FutebolCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]Maradona
Comentários