Flamenguista que tatuou camisa: 'falem bem ou falem mal, mas falem de mim'

Torcedor chegou a fazer enquetes sobre o modelo da camisa a ser tatuada e chamou patrocinadores interessados

Continua dando o que falar nas redes sociais a história de José Maurício, o flamenguista super apaixonado que resolveu tatuar a camisa do clube em tamanho real. Em entrevista ao portal Extra, neste sábado, ele disse estar tranquilo com sua decisão de marcar a pele com a camisa rubronegra e ainda mandou, apesar das críticas: "falem bem ou falem mal, mas falem de mim".

O tatuador, Robinho, também publicou em seu Instagram mais fotos das tatuagens, e diz que serão necessárias 15 sessões para finalizar a camisa, "única no Brasil". Mauricio não descarta, também, transmitir ao vivo, pelo Faceboook, as próximas fases do trabalho.

"Isso (as críticas) eu já sabia que iria acontecer. É como diz aquele ditado: ‘falem bem ou falem mal, mas falem de mim’. Nunca liguei para o que as outras pessoas pensam. E, graças a Deus, nunca fui um cara de discussão. Sou da paz", disse Maurício ao Extra.com.br.

O torcedor chegou a realizar, em seu Instagram, algumas enquetes sobre qual o modelo da camisa deveria tatuar e abriu até mesmo a chance de patrocinadores apoiarem o projeto - post que depois foi apagado. "Eu pesquisei bastante antes de tatuar. Muitos queriam que eu fizesse o modelo de 1992, outros de 1987, mas eu gostei mais dessa", conta ele, que está tatuando a camisa de 2015.

Ele também diz, "sinceramente", que não espera ter problemas no trabalho por causa da tattoo e publica até mesmo algumas piadas sobre o assunto:

 

Vou ter q jg no time com camisa mesmo kkkkkl

Uma publicação compartilhada por Mauricio (@mauricio.flamengo) em

O flamenguista apaixonado é pai de três crianças: uma menina de cinco anos e dois meninos gêmeos de dois anos. Ele garante que não se arrepende e diz que, agora, sonha conhecer o Maracanã.

"A minha paixão pelo Flamengo, ultrapassa barreiras como tristeza e solidão", escreveu na rede social. Quanto às críticas, elas já eram esperadas, afirma Mauricio, que é caminhoneiro e mora em Joinville (SC).

Veja Maurício, com os filhos:

MAIS SOBRE:

futebolFutebolFlamengo
Comentários