Fluminense perde processo em que pedia para não ser chamado de 'Tapetense'

Clube recorre e continua pedindo indenização de jornalista que usou apelido, mas destacou história gloriosa do clube

Relacionadas

O Fluminense pode continuar sendo chamado por um de seus apelidos mais incômodos, segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. O clube perdeu processo que movia contra o jornalista Paulo Cezar de Andrade Prado, dono do Blog do Paulinho, no qual reclamava de ter sido chamado de 'Tapetense', juntando o nome do clube com a palavra tapete, em um dos textos. As informações são do site da ESPN.

O texto de Paulo Cezar foi escrito relembrando episódios como a subida do Fluminense de campeão da Série C em 1999 para a Série A em 2001, sem jogar a Série B, e o julgamento que tirou pontos da Portuguesa e acabou rebaixando o time paulista no lugar do carioca em 2013.

"Se nos últimos anos suspeitas de ações de bastidores do futebol pairam sobre a equipe (que passou a ser tratada pelos adversários como 'Tapetense'), desde a vergonhosa ascensão da Série C para a Série A do Brasileiro, decidida numa canetada, até a provável conivência com a parceira, Unimed, no que seria a compra da alma do presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, que culminou no rebaixamento da Lusa e consequente salvação dos cariocas, mais uma vez encontrar-se-a razões para desconfianças. O Flu é enorme, porém, há anos,encontra-se gerido por pigmeus da moralidade, gente que não percebe o desserviço realizado à imagem do clube, ou, em percebendo, pouco da bola às consequências", publicou o jornalista.

O Fluminense, então, entrou com ação pedindo indenização por danos morais no valor de R$ 50.000 e que o texto fosse retirado da internet. Porém, o juiz Tom Alexandre Brandão, da 2ª vara cível de São Paulo, considerou que a expressão foi utilizada de forma legal e dentro da liberdade de expressão garantida na constituição.

"No caso dos autos, considero que não houve qualquer excesso a justificar a retirada da reportagem do ar ou, ainda, a reparação dos danos alegados. A crítica feita pelo réu é absolutamente legítima. Como bem observa a petição inicial e a própria postagem questionada, o clube autor tem uma história fantástica e importância destacada no cenário futebolístico nacional. Mas essa história, para muitos torcedores e amantes do futebol, foi manchada pelo episódio referido na matéria, mais precisamente o acesso direto à Série A do Campeonato Brasileiro por um time que havia disputado (e vencido) a Série C no ano anterior", escreveu Brandão na decisão.

O juiz também criticou o clube. "Bem faria o clube autor se lutasse por regras mais transparentes e justas no futebol nacional, ao invés de insurgir-se contra quem critica as distorções no cenário esportivo", finalizou. Brandão determinou que o Fluminense terá de pagar os custos do processo, mas o time recorreu e aguarda nova decisão judicial.

MAIS SOBRE:

futebolFluminensePortuguesa
Comentários