Futebol, figurinhas e o sonho de ver a Copa são tema de livro

Jornalista Marcelo Duarte lançou 'O Mistério da Figurinha Dourada', sobre a febre dos álbuns da Copa do Mundo

Relacionadas

Imagine encontrar no álbum da Copa do Mundo uma figurinha dourada que te levasse para assistir aos jogos do torneio de graça? Um sonho, né? Mas e se, de repente, ela fosse roubada? Como desvendar esse mistério? 

Está chegando! Panini divulga capa do álbum de figurinhas da Copa

Com fotos de brasileiros, perfil vaza parte das figurinhas do álbum da Copa

 Álbum relembra trajetória da seleção brasileira em Copas do Mundo

Essa história instigante e a busca pela desejada figurinha dourada é a trama do livro O Mistério da Figurinha Dourada, do jornalista Marcelo Duarte, que trabalha nas rádios BandeirantesBandNews FM e também passou pelo canal ESPN Brasil, com o programa Loucos Por Futebol, entre 2002 e 2015. 

Marcelo conta que o hábito de colecionar figurinhas veio de família e foi passado para seus filhos, de 26, 22 e 11 anos. "É algo que remete à memória afetiva da minha infância e hoje gosto de fazer em família", comenta. O autor conta que a ideia do livro, de leitura rápida e com 78 páginas, veio quando estava lendo o clássico O Gênio do Crime (1969), de João Carlos Marinho, para seu filho mais novo.

A história do livro fala de um grupo de garotos que coleciona figurinhas e descobre que algumas são falsas, iniciando uma investigação para desvendar o mistério por trás da falsificação. "Tive a certeza que era o momento de fazer um livro sobre figurinhas e algo meio policial, com foco na faixa etária de nove a doze anos", explica.

Outra inspiração foi A Fantástica Fábrica de Chocolates (1964), do britânico Roald Dahl, de onde a ideia das figurinhas douradas vieram. No romance de Dahl, cinco crianças encontram um bilhete dourado e, com ele, podem entrar na misteriosa fábrica da cidade que produzia os doces mais gostosos do mundo.

HÁBITO

Sobre a febre de colecionar as figurinhas da Copa, Marcelo diz ter visto uma mudança com o passar do tempo. "Se tornou um evento, ir a shopping, ao Museu do Futebol, para trocar com outras pessoas. Virou uma interação muito divertida", diz. Na época de seu primeiro álbum, o da Copa de 1970, vencida pelo Brasil, quando faltavam figurinhas era preciso enviar uma carta para a editora pedindo os cromos desejados. "Agora ficou muito mais divertido", relata. 

O livro, da Panda Books, conta com várias ilustrações, todas de autoria de Caco Bressane. Os três mil exemplares da primeira edição já esgotaram e o livro está na segunda, com outros três mil. A obra foi adotada em seis escolas de São Paulo. 

Quer o álbum da Copa do Mundo de 2018 de graça? Estadão fez uma parceria com a editora Panini e quem for às bancas comprar o jornal no próximo domingo, 18, recebe gratuitamente o álbum da Copa e 11 figurinhas para começar a coleção. 

Nesta edição, serão 682 cromos. Em cada página dupla das seleções estão os 18 jogadores, uma figurinha especial com o emblema da confederação de futebol daquele país e uma outra com a equipe posada para foto. Além disso, a publicação mostra os estádios, os principais símbolos do Mundial e imagens históricas.

MAIS SOBRE:

futebolfutebol
Comentários