Goleiro é expulso por se adiantar em pênalti; zagueiro defende e classifica o time

Lance foi decisivo para classificação épica do Orlando City para semifinal da Conferência Leste

Relacionadas

O Orlando City já viveu uma história digna de cinema no primeiro mata-mata que disputou na MLS, neste sábado. A equipe da Flórida se classificou contra o New York City FC mesmo tendo um goleiro improvisado no último pênalti.

No tempo normal da partida, Nani abriu o placar para o Orlando aos cinco minutos do primeiro tempo e Chanot empatou para o New York aos oito. O lateral brasileiro Ruan, do time da Flórida, foi expulso pouco antes do final dos noventa minutos, e a partida se estendeu por prorrogação e pênaltis.

As penalidades acabaram indo até as alternadas. No sexto pênalti, o goleiro peruano Pedro Gallese defendeu, o que daria a classificação ao Orlando. Mas a arbitragem revisou, viu que ele havia se adiantado, mandou voltar e deu o segundo cartão amarelo e, consequentemente, o vermelho, para o arqueiro.

O zagueiro argentino Rodrigo Schlegel teve que assumir as luvas. Não defendeu o primeiro chute, mas espalmou a cobrança de Thórarinson e garantiu que o Orlando chegaria à semifinal da Conferência Leste da MLS pela primeira vez na história.

MAIS SOBRE:

futebolOrlando CityNew York City FCMLS [Major League Soccer]
Comentários