Jogador do PSG anuncia aposentadoria e revela intenção de virar treinador

Thiago Motta, de 36 anos, afirmou que essa é sua última temporada como jogador

Relacionadas

O brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta, volante do Paris Saint-Germain, afirmou que esta temporada que está em sua reta final será a última da carreira e anunciou sua intenção em se tornar treinador. "Passei aqui anos muito agradáveis (seis anos e meio no PSG) e o que sinto agora é que este deve ser o último clube da minha carreira", disse Motta, em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal francês L'Équipe.

Manchester City faz homenagem aos jogadores em suas cidades natais

Preço cem vezes maior e agressões físicas: o perigoso uso de táxis na Rússia

Após polêmica, Juninho Pernambucano está fora da Globo e SporTV

O jogador, que completará 36 anos em agosto, fez um balanço de sua carreira e lamentou especialmente não ter disputado as finais da Liga dos Campeões da Europa com dois dos seus antigos clubes: a do Barcelona em 2006 - vencida sobre o Arsenal - e da do Internazionale de Milão em 2010 - campeã sobre o Bayern de Munique.

"Eu achei que este ano seria melhor, mas não aconteceu", afirmou Motta, que também comparou o método de trabalho do seu atual técnico, o espanhol Unai Emery, com o do italiano Carlo Ancelotti, ex-comandante do time francês.

Ancelotti "fazia você se sentir envolvido. Ele me dizia: 'hoje você controla o meio-campo'. Se algo não ia bem, era sua responsabilidade, não a do treinador. Com Emery, você trabalha de forma diferente. Ele gosta ter o controle de tudo", analisou.

 

Thiago Motta, segundo capitão do atual campeão francês por antecipação, atrás do brasileiro Thiago Silva, elogiou a qualidade de seus companheiros Marco Verratti, Giovani Lo Celso e Adrien Rabiot. "(Rabiot) pode ser melhor que eu. Na sua idade (23), eu não era tão forte. Tem um potencial enorme e pode jogar em várias posições", disse.

Sobre seu futuro, Motta não esconde que planeja um dia se tornar treinador do Paris Saint-Germain. "Vou avançar etapa por etapa, mas não vou esconder. Tenho essa ideia na minha cabeça, embora ache que ainda esteja longe", finalizou.

O jogador, cuja carreira esteve marcada também por várias lesões, conquistou 27 títulos. Além de Barcelona, onde iniciou sua carreira em 2001, PSG e Inter de Milão, Thiago Motta defendeu as camisas de Atlético de Madri e Genoa (ITA). Embora tenha nascido em São Paulo, o volante não jogou profissionalmente por nenhum clube brasileiro. Ele participou de 30 partidas com a seleção italiana, disputando as Eurocopas de 2012 e 2016, além da Copa do Mundo de 2014, justamente no Brasil.

 

MAIS SOBRE:

FutebolParis Saint-GermainUnai EmeryaposentadoriaParis Saint-Germain
Comentários