Jogadores da Alemanha repudiam atos racistas contra Sané e Gundogan

Três torcedores que entoaram cânticos neonazistas foram identificados e intimados a depor

Relacionadas

Três homens alemães tomaram atitudes racistas contra Leroy Sané e Ilkay Gündogan durante o amistoso da seleção do país contra a Sérvia, que foi disputado em Wolfsburg. Sané foi ofendido devido à cor de sua pele, enquanto Gündogan, pela ascendência turca. Os três homens também cantaram músicas neonazistas e outras em referências a Adolf Hitler.

Os três foram identificados graças a um vídeo postado na internet por outro torcedor. A polícia de Wolfsburg os convocou para prestar depoimentos, prossegue em investigações sobre o caso e irá entregar o caso para o promotor local em breve.

Outros jogadores da seleção alemã se manifestaram em apoio a Sané e Gundogan. "Xenofobia não tem lugar no estádio ou na sociedade. Eu venho do [Vale do] Ruhr, onde você responde a uma pergunta sobre sua nacionalidade com 'Schalke', 'Dortmund' ou 'Boochum'. Para nós, integração não é uma questão, mas um fato evidente", twittou Leon Goretzka.

"Isso é absolutamente inaceitável. Não apoiamos isso. Nós apoiamos a diversidade. A cor não importa", falou Marco Reus sobre ao jornal Bild. A DFB (entidade que cuida da seleção alemã) também manifestou apoio as atletas e ajudou a polícia a identificar os três homens através dos lugares em que eles estavam sentados.

A seleção alemã ainda tenta se recuperar após o caso de Mesut Özil, que se aposentou da equipe em 2018, dizendo que recebia tratamento diferenciado dos dirigentes devido a sua origem turca. A DFB negou que discriminasse Özil.

MAIS SOBRE:

futebolseleção alemã masculina de futebolracismoIlkay GundoganLeroy Sané
Comentários