Juninho Pernambucano critica repórteres de clubes e leva bronca ao vivo

Após ex-jogador falar que jornalistas ganham mal e têm inveja dos atletas, direção da emissora contesta opinião

Relacionadas

O programa Seleção SporTV desta segunda-feira teve uma polêmica ao vivo. O ex-meia e atual comentarista Juninho Pernambucano criticou os jornalistas que cobrem diariamente os clubes, conhecidos por setoristas, ao dizer que eles têm inveja dos jogadores e são maus profissionais. Em resposta, o apresentador do programa, André Rizek, leu no ar uma nota enviada pela direção da emissora para contestar a opinião do ex-jogador.

+ Mesmo eliminado, Indiana Pacers teve temporada 'gigante'

+ Gol anulado gera nova polêmica de interferência em jogo do Corinthians

+ Times de Hiroshima e Nagasaki voltam a se enfrentar depois de 25 anos

Os participantes do programa debatiam o incidente da última semana, quando alguns torcedores do Flamengo tentaram agredir o meia Diego no aeroporto. Ao comentar o assunto, Juninho Pernambucano citou reportagens publicadas na imprensa que, segundo ele, eram equivocadas e disse que os jornalistas ajudam a fomentar a violência da torcida.

"Os setoristas são muito piores hoje em dia. Eu sei que eles ganham mal, mas cada um tem o caráter que tem. Se eu sou setorista, o que eu ia fazer, tentar fazer um ótimo trabalho para tentar ir para outra etapa, subir", afirmou Juninho. Durante a fala, ele comentou que se fosse repórter, gostaria de se esforçar para se tornar narrador de televisão como os outros dois presentes à mesa, Cléber Machado e Luiz Roberto.

Juninho afirmou que atualmente os repórteres têm um vínculo muito próximo com dirigentes de clube. "Hoje, para quem cobre futebol, a prostituição está muito grande. Isso é muito perigoso, como na política", afirmou. "Parte da imprensa também tem culpa na violência, porque há um excesso de pilha", afirmou.

O ex-meia do Vasco, Lyon, Sport e seleção brasileira disse que parte da conduta dos jornalistas com os jogadores é permeada por inveja. "Já vi isso também de olhar para você, um jogador que é profissional, não tem formação e ganha R$ 100 mil. Tem um cara que está ali, estudou quatro anos, fez de tudo para se formar jornalistas, para ser setorista e ganha mal. Talvez ele leva isso em consideração", explicou.

"É difícil você ganhar R$ 3 mil ou R$ 4 mil em uma sociedade e se você não for um cara fera, tem que entrevista um cara que ganha mais e que você considera ele um ninguém", afirmou Juninho Pernambucano, que durante a explicação, citou uma reportagem publicada sobre ele em 2012, quando estava no Vasco, e que ele considerou equivocada.

Minutos depois o apresentador do programa, André Rizek, disse ter recebido um comunicado da direção de jornalismo do Grupo Globo sobre os comentários do ex-jogador. "Há bons e maus profissionais em todas as categorias. Temos mais de 30 setoristas trabalhando hoje no Grupo Globo e eles recebem aqui nossa confiança e nossa solidariedade. Muitas vezes são eles que mais sofre com o desequilíbrio e a eventual violência dos torcedores", narrou.

Rizek ainda concluiu a leitura do comunicado da emissora: "Isso não quer dizer que o Juninho não tenha o direito à sua opinião, que é e continua sendo livre. Mas é importante fazer esse registro".

MAIS SOBRE:

futebolJuninho Pernambucano
Comentários