Laterais do Corinthians formam esquadrão e se arriscam no Call of Duty

Fagner, Lucas Piton e Carlos Augusto mostraram que os games fazem parte de suas rotinas na quarentena

Relacionadas

Os laterais do Corinthians, Fagner, Carlos Augusto e Lucas Piton mostraram, em vídeo da TV Corinthians, que estão se arriscando nos games durante o período de isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), que suspendeu o futebol brasileiro, em março. Ambos formaram um trio no modo Battle Royale de Call of Duty, o Warzone, mas não se saíram tão bem quanto imaginavam.

“Tem que cair num lugar safe (seguro, na gíria dos eSports), mano. Eu sou ruim”, disse Carlos, enquanto Piton fazia uma série de baixas: “Deitei um, deitei um. Squad eliminado”.  

O veterano Fagner, por sua vez, disse que tentou ajudar a equipe, que, no máximo, ficou na quinta colocação. “Tentei carregar os dois, mas foi difícil. No fim das contas, eu que fui carregado”, revelou Fagner, bem humorado.

O novo modo de jogo, de uma das franquias mais bem sucedidas da Activision, consiste na eliminação de todos os players da partida, até que um jogador, ou um esquadrão, sobreviva. Ao longo do game, as equipes são estimuladas a se confrontarem, por conta de um gás tóxico, que limita o perímetro de combate, aproximando os squads rivais.

Os games ganharam protagonismo dentre os esportistas que tiveram suas rotinas afetadas pela pandemia. Em suas casas, próximos a seus consoles, os atletas participam de campeonatos, que simulam seus esportes na vida real, ou se entretém, como os laterais do Corinthians, e se arriscam nas mais diversas modalidades.   

MAIS SOBRE:

Corinthiansfutebol
Comentários