Lenda do Manchester City foi soldado nazista durante a Segunda Guerra

Goleiro se consagrou ao ajudar a conquistar a Copa da Inglaterra com o pescoço quebrado

Relacionadas

Em 1949, o Manchester City causou polêmica ao contratar aquele que provavelmente foi o maior goleiro de sua história. Frank Swift, que ocupava a posição, tinha se aposentado e o clube precisava de um substituto. Foi aí que Bert Trautmann entrou no enredo. Ele e uma das histórias mais curiosas do futebol mundial.

+ Veja mais notícias relacionadas a futebol

Não entendeu nada? Calma que o Fera explica. Antes de virar um ídolo na Inglaterra, o jogador defendeu o exército nazista de Hitler na Segunda Guerra Mundial. Antes de começar a jogar, com 25 anos, o alemão se alistou na Luftwaffe, a divisão aérea das Forças Armadas alemãs da época, com a esperança de sair da pobreza. 

Em pouco tempo seria enviado para lutar na Frente Oriental e ganhou cinco medalhas de honra por missões executadas no Leste europeu, como paraquedista. No entanto, antes do final da guerra, ele foi capturado pela terceira vez pelo exército aliado. Embora nas duas ocasiões anteriores ele tivesse conseguido escapar, dessa vez ele passou três anos como prisioneiro em território inglês.

A promessa da seleção alemã que morreu a serviço do Estado Islâmico

"Eles me levaram para um acampamento que estava entre Manchester e Liverpool, onde havia um general escocês que estava um pouco louco e formado um time de futebol", contou em um documentário publicado pela espanhola Fiebre Maldini.

Como se destacava nas partidas, ao ser liberado Trautmann foi convidado para defender o time amador do St. Helens Town. Pouco tempo depois receberia uma proposta para vestir a camisa de um dos maiores clubes da europa, o City. 

Campeão com o pescoço quebrado

Apesar dos 15 anos de serviço ao futebol inglês, a consagração do goleiro como lenda veio numa partida disputada em 1956: a final da Copa da Inglaterra contra o Birmingham City. Diante de aproximadamente 100 mil pessoas no estádio de Wembley o alemão sofreu uma grave lesão após se chocar com Peter Murphy. Ainda que com muitas dores, seguiu em campo e foi fundamental para a conquista do título de campeão. Três dias dias depois, um raio-X mostrou que havia cinco vértebras do goleiro deslocadas, sendo que uma delas estava partida em dois. A recuperação demorou mais de um ano. Bert Trautmann morreu em 2013, aos 89 anos.

MAIS SOBRE:

futebolInglaterra [Europa]Manchester City Football ClubSegunda Guerra Mundial
Comentários