Levantamento mostra que Cavani bate pênaltis melhor que Neymar

Desde o brasileiro chegou à Europa, uruguaio nunca bateu penalidade para fora do gol

Relacionadas

Nesta terça-feira, 19, a rádio francesa RMC cravou que, apesar do desentendimento com Neymar, Cavani seguirá como o primeiro cobrador de pênaltis do Paris Saint-Germain. Se depender do rendimento dos dois no fundamento, o clube fez certo. 

De acordo com levantamento do ESPN.com.br levando em conta todas as penalidades cobradas pelos dois jogadores desde 2013, ano em que o brasileiro chegou à Europa, o uruguaio apresentou um aproveitamento superior, tanto de conversões como de chutes na direção do gol. 

No período, contando atuações por Barcelona, seleção brasileira e PSG, Neymar bateu 23 pênaltis, com 16 gols e sete erros, isto é, aproveitamento de 69,6%. 

 

 

Tanto pela seleção uruguaia como pelo PSG, clube que defende desde 2013, Cavani acertou 88,5% das oportunidades, com 26 penalidades, 23 gols e três erros. 

Quanto à mira, o uruguaio também segue à frente. Dos sete erros de Neymar, quatro bolas defendidas pelo goleiro e três chutes para fora. Sendo assim, dos 23 pênaltis totais, 20 foram na direção do gol, resultando em aproveitamento de 87%. 

Cavani, por sua vez, não errou a meta em nenhuma cobrança, já que os três erros, incluindo o contra o Lyon, no último domingo, 17, foram por intervenções do goleiro. Ou seja, sua precisão nos chutes foi de 100%. 

 

 

MESSI E CRISTIANO RONALDO

Apesar de ter praticamente metade das cobranças, Neymar também fica atrás na comparação aos dois principais jogadores do século. Desde 2013, Cristiano Ronaldo foi à marca da cal 55 vezes, com 43 gols e 12 erros, resultando em 78,2% de aproveitamento. 

No mesmo período, Lionel Messi teve 49 oportunidades, sendo 37 gols, também 12 erros e aproveitamento de 75,5%. 

Quanto à mira, o português chutou para fora cinco dos 12 pênaltis perdidos. Portanto, das 55 penalidades, 50 foram na direção do gol, eficiência de 90,9%. 

Dos 49 chutes de Messi, somente quatro foram para fora, resultando em 91,8% de aproveitamento. 

 

MAIS SOBRE:

futebolNeymarCristiano RonaldoLionel MessiEdinson CavaniParis Saint-Germain
Comentários