Madson comenta carreira e explica tatuagem com palavrão: 'Era para ser fera'

Meia fala sobre preconceito por baixa estatura e elogia Neymar, companheiro de quando atuou pelo Santos

Relacionadas

O meiocampista Madson, de 32 anos, chama atenção em campo por coisas além do futebol: tem uma altura abaixo da comum para um jogador (1,58m) e, como se não bastasse, tem uma tatuagem se auto-exaltando com um palavrão no braço.

Madson fez a tatuagem em 2008, época em que viveu uma boa fase no Vasco (apesar do rebaixamento do time), sendo chamado de 'fera' pela torcida do time. "Na época que eu fiz, eu ia colocar 'Madson a fera', mas aí na hora eu pedi para o tatuador colocar 'o foda', e ficou. Mas a minha querida mãe fala até hoje que eu sou f...", explicou ao portal Uol.

O meia também relatou alguns olhares tortos por causa da altura que tem. "Quando comecei a fazer testes nos clubes, eu sentia um olhar diferente para mim, pela minha altura, sem sombra de dúvidas. Mas graças a Deus consegui vencer", relatou.

Para Madson, o melhor momento da carreira foi quando estava no Santos, entre 2009 e 2010. Na época, teve a chance de presenciar o crescimento de Neymar. "O Santos foi onde eu cheguei ao ápice da minha carreira. Consegui títulos individuais e coletivo. Foi a minha melhor fase, sem dúvidas. Eu vi o Neymar subindo em 2009, ele evoluiu muito rápido. A gente conversa muito, estávamos sempre juntos no CT e etc...Neymar sempre foi diferenciado, tanto pelo talento como pela humildade. Gente da melhor qualidade até hoje. Éramos parceiros dentro e fora de campo", contou.

Na entrevista, Madson também afirmou ser muito grato a Renato Gaúcho, que o alçou aos profissionais do Vasco, em 2006. Hoje, Madson atua pelo Fortaleza, e estará presente na primeira divisão do Campeonato Brasileiro depois de seis temporadas no futebol do Catar.

MAIS SOBRE:

futebolMadsonVascoSantos Futebol Clube
Comentários