'Casa' de Neymar recebe maior torneio amador com estrutura profissional

Tenda com fisioterapeutas, transmissão ao vivo com comentários de Djibril Cissé são alguns dos atrativos do evento no Instituto Projeto Neymar Jr

Contando com estrutura profissional, a etapa mundial do Neymar Jr's Five, maior campeonato de futebol amador do planeta, começou na manhã desta sexta-feira, 7, no Instituto Projeto Neymar Jr., na Praia Grande. Ao todo, 53 países são representados na competição, que realizou seletivas em cada uma das nações. 

Relacionadas

Mas se engana quem acredita que o campeonato é amador. Logo na entrada do evento, é possível ver uma tenda dedicada à fisioterapia, com profissionais e aparelhos modernos que ficam à disposição dos jogadores.

"Fazemos aqui um trabalho de regeneração e recuperação muscular e articular, aliviamento de dores, liberação miofascial, para liberar a musculatura. Tentamos fazer um certo ajuste para os atletas voltarem para as partidas ou algum alívio ao final dos jogos", explica o fisioterapeuta Fabiano Gil, de 42 anos. 

 

Estão disponíveis no local piscinas de gelo, botas pneumáticas e o "game ready", um equipamento que comprime e resfria as áreas lesionadas e acelera a recuperação de lesões musculares e até ortopédicas. 

Segundo Gil, até o começo do segundo dia, não foram registradas lesões graves ou fraturas. "O único caso que preocupou foi de um menino da Austrália que teve um ataque epilético ontem (sexta) e foi levado para o centro médico. Fora isso, está bem tranquilo." 

Com jogadores de 53 nacionalidades diferentes, a comunicação também não é das mais fáceis. "Tentamos falar com um inglês mais básico, com gestos. Mas até agora não tivemos nenhum problema."

 

Além disso, há um lounge com videogame, comidas, bebidas e poltronas. Ali, além de se abrigarem do sol, também conseguem interagrir com os jogadores dos outros times. E essa integração é vista em todos os cantos, com rodas de bobinho, fut-tênis ou altinha envolvendo atletas de diversos continentes. 

Todas as partidas contam com transmissão ao vivo na plataforma da patrocinadora na internet. Os comentários, inclusive, são feitos por Djibril Cissé, que está na Praia Grande, mas evitou os holofotes durante o evento. 

"Estrutura de primeiro mundo. Parece uma Copa do Mundo mesmo. Torneio muito difícil, mas está tudo muito bem organizado", conta 

Na beiradas das quadras e nas rodas de conversas, paus de selfie com smartphones e câmeras de ação são vistos aos montes, alguns mirando para os jogos, outros, para os amigos recém conhecidos, que sorriem para uma selfie. 

 

TIMES COM TREINADORES E JOGADORES PROFISSIONAIS

Se a estrutura do campeonato também é profissional, as equipes não ficam atrás. A maioria delas conta com um treinador, que grita à beiras da quadra. Outros, possuem fotógrafos ou cinegrafistas, para registrar as partidas e a experiência.

Outras, aliás, possuem realmente com jogadores que atuam no futebol de elite de seus respectivos países. Por exemplo o brasileiro Daniel Matsunaga, de 28 anos, que defende a seleção das Filipinas, país onde é celebridade. Nascido em Brasília, ele se mudou para a Ásia há 13 anos para dar seguimento à carreira de modelo. No entanto, a paixão pelo futebol seguiu com ele. 

"Fiz testes para alguns times profissionais lá e acabei passando. Joguei quatro anos na primeira divisão. Parei no ano passado", conta Daniel. 

 

No entanto, antes de começar a jogar futebol, ele já era bastante conhecido pelo opublico filipino devido a seus trabalho como modelo e ator. "Assim que cheguei lá, me falaram que eu tinha jeito para a televisão. Então comecei a praticar minha atuação e também a aperfeiçoar a língua", explica. 

Ele também estourou ao se tornar o primeiro estrangeiro vencedor da versão filipina do Big Brother e também ficar na terceira colocação de um outro reality show. Atualmente, ele conta com mais de 1,6 milhões de seguidores em sua conta no Instagram. 

 

PRÊMIO

Os times de sete jogadores, sendo cinco titulares, se desafiam por dez minutos em uma quadra de society com um gol de dimensões bem menores que o normal. Além disso, a cada gol anotado, o time adversário perde um integrante. Ganha quem fizer mais gols ao final do tempo regulamentar ou o time que eliminar todos os jogadores rivais. 

O campeão geral do torneio terá o direito de jogar contra o time formado pelo próprio Neymar e seus amigos. Além disso, ganharão uma viagem até Barcelona, onde encontrarão o craque brasileiro mais uma vez e também assistirão a um jogo do time catalão direto do Camp Nou.

MAIS SOBRE:

futebolneymar jrs fiveinstituto projeto Neymar JrPraia Grande
Comentários