Meia Turan, do Barcelona, agride jornalista em voo e é expulso da seleção turca

Turan teria se irritado com publicação e desferido golpes em jornalista; após isso, ele foi desligado da delegação

Relacionadas

O meia Arda Turan, do Barcelona, se desentendeu com um jornalista durante um voo com a seleção da Turquia e, depois, anunciou que não joga mais pela equipe. A decisão de desligar o jogador foi do técnico turco, Fatih Terim. A confusão aconteceu no voo entre a Macedônia e a Itália. No trajeto, Turan, irritado com uma publicação, teria desferido golpes no jornalista.

O jornalista Bilal Mese Mese foi agredido pelo jogador por causa de uma matéria que dizia que o meia e outros jogadores da seleção haviam pedido mais dinheiro em 2016 e criado um racha na equipe. Turan teve que ser segurado por outros jogadores para que parasse de bater no jornalista.

"Diga-me Bilal Mese, você estava lá? Você estava com a gente quando escreveu sobre o assunto do dinheiro? Para quem nós pedimos dinheiro? Por que não fala agora? Eu te pergunto aqui, quem mandou você escrever essas coisas?", teria gritado o jogador.

Nesta terça, o jornal turco Hürriyet, publicou informações da briga e críticas de Turan contra a presença do repórter no voo da seleção turca. 

"Fico irritado que deixaram entrar uma pessoa tão sem honra como você neste avião. Posso deixar o futebol, mas não vou permitir que mexa com minha honra, nem com minha família", teria dito o meia. Em uma publicação em seu Instagram, Turan se defendeu e disse que aceita críticas, desde que relacionadas a seu futebol, afirmando ainda que não se arrepende da confusão.

A delegação voltava de Skopje, onde a seleção empatou em amistoso com a Macedônia em 0 a 0, e se dirigia para Trieste, na Itália, de seguiria para a Eslovênia, para partida pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Logo no desembarque, o técnico turco anunciou que estava expulsando o meia da concentração.

A Associação dos Jornalistas da Turquia publicou nota classificando o comportamento do jogador de "inaceitável", afirmando que condena agressões contra qualquer profissional de imprensa.

MAIS SOBRE:

futebolFutebol
Comentários