O dia em que Leão pegou 3 pênaltis do Corinthians, mas juiz anulou todos

No clássico em 1975, o árbitro Dulcídio Wanderley Boschillia mandou voltar cobranças alegando que o goleiro se adiantou

Relacionadas

Em um clássico entre Corinthians e Palmeiras, válido pelo Campeonato Brasileiro de 1975, o goleiro Leão, então do alviverde, viveu uma situação inusitada. No primeiro tempo da partida, com os palmeirenses vencendo por 1 a 0, o árbitro Dulcídio Wanderley Boschillia marcou pênalti de Didi em Vaguinho. 

Na cobrança, o volante Ruço bateu no canto esquerdo de Leão, que se esticou e fez a defesa. No entanto, logo em seguida, o juiz mandou voltar a cobrança, alegando que o goleiro palmeirense teria se adiantado. 

 

+ Palmeiras terá novidade no uniforme em dérbi contra o Corinthians

+ Organizadas do Corinthians se unem para cantar 'uma só voz' contra o Palmeiras

+ FERA DO PASSADO: Os 14 gols mais bonitos do dérbi Corinthians x Palmeiras

+ Siga o Fera no Twitter!

 

Além de Leão, os jogadores do Palmeiras ficaram indignados. Ademir da Guia, conhecido por ser um jogador calmo, chegou a receber um cartão amarelo por reclamação. 

a segunda cobrança, Ruço mudou de lado e o Leão defendeu mais uma vez, e Dulcídio mandou repetir a cobrança mais uma vez. Na terceira cobrança, advinha: o palmeirense pegou de novo, no canto direito, e o juiz anulou novamente. 

Para a quarta cobrança, o lateral Claudio Marques pegou a bola e finalmente marcou, empatando a partida em 1 a 1, placar final do jogo. 

 

+ Corinthians treina para 32 mil pessoas na Arena; veja vídeos e fotos da festa

 

 

Esta não foi a primeira vez que Leão teve problemas com Dulcídio. No ano anterior, em 1974, em uma partida entre Palmeiras e Portuguesa, no Pacaembu, o árbitro anulou duas defesas dele, em cobranças do atacante rubro-verde Enéas. Também naquela oportunidade o jogo terminou em 1 a 1. 

Em entrevista ao UOL Esporte, em 2015, Leão afirmou que, nesta partida contra a Portuguesa, ele ameaçou ficar de costas para o batedor. Entre risadas, o ex-goleiro contou que Dulcídio falou que iria expulsar se ele fizesse isso. "Eu respondi: 'Mas é obrigado a ficar de frente?'"

Apesar dos casos com Dulcídio, Leão não guarda rancor do árbitro. Na mesma entrevista ao UOL, o ex-goleiro afirmou que "ele era gente boa para caramba, mas era temperamental". "Agora, uma coisa muito importante é que ele era honesto. Por isso a gente aturava ele um pouco. Mas volto a falar. Tudo o que ele fez, ele tinha razão", disse. 

 

 

 

MAIS SOBRE:

futebolPalmeirasemerson leaoderbi-paulistaCorinthians
Comentários