O que a imprensa internacional disse sobre a vitória da seleção brasileira?

Choro de Neymar, pênalti anulado pelo VAR e ressurreição nos minutos finais foram destacados pelos jornais

Relacionadas

A seleção brasileira sofreu, mas ganhou da Costa Rica e está a um passo de se classificar para às oitavas de final da Copa do Mundo. Jornais estrangeiros destacaram a vitória brasileira suada, mas quem ganhou destaque nas principais manchetes do mundo foi Neymar.

Após vitória suada, torcedores brasileiros recolhem lixo no estádio

Saiba o que precisa acontecer para a Argentina se classificar às oitavas

Ex-Globo, Juninho Pernambucano critica narração de Galvão Bueno

O jornal espanhol El País chamou a vitória por 2 a 0 de ressurreição. O texto lamenta o ataque brasileiro não ter conseguido, por 92 minutos, derrubar o "muro inquebrável" levantado pelos rivais. “Só quatro minutos depois, Neymar, brigado com o juiz durante toda a partida e com um pênalti anulado pelo VAR pela primeira vez na história dos mundiais, marcou com gosto”.

O argentino Clarín estampa a manchete “Neymar, o grande simulador que sempre dá fantasia”. A matéria fala das tentativas do Brasileiro em enganar o árbitro durante a partida, que teve que ter atenção redobrada para não se deixar levar.

"Neymar é sempre foco. Para o bem ou para o mal. Mas na tarde de São Petersburgo, os olhos do árbitro holandês Bjorn Kulpers escanearam-no especialmente", escreveram.

Na Alemanha, o periódico Bild foi menos crítico, e deu em sua capa a manchete “Neymar show para o Brasil - Gol e lágrimas”. A matéria fala do esforço do atacante brasileiro na partida, suas encenações e seu choro de alívio após balançar as redes e garantir a vitória. 

O jornal francês L'Équipe escolheu ressaltar o alívio da nação brasileira após a vitória nos acréscimos: "O Brasil respira melhor". Já  o espanhol Mundo Deportivo focou no camisa 10 da seleção brasileira: "Neymar não engana o VAR e Brasil vence nos acréscimos". 

MAIS SOBRE:

FutebolCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]Neymararbitragem esportivaseleção brasileira masculina de futebol
Comentários