O que disse a imprensa argentina sobre a vitória gremista sobre o River?

Time brasileiro venceu por 1 a 0 o primeiro duelo da semifinal da Libertadores

Relacionadas

Na noite de terça-feira, o jornal Olé deixou de lado seu histórico de manchetes provocativas e adotou um tom bastante sóbrio para se referir a jogo no Monumental de Nuñez. Após o Grêmio vencer por 1 a 0 o jogo diante do River Plate, na Argentina, o título da principal matéria do portal se rendia ao clube brasileiro.

"Nada alegre", estampou o periódico fazendo referência à cidade de Porto Alegre. O início da publicação representa o conteúdo da matéria como um todo. "River não foi River na partida de ida da semifinal. O Grêmio algemou e ganhou com uma bola parada. A equipe de Gallardo nunca conseguiu encontrar seu jogo".

Outro diário argentino, o La Nación, também não gostou da atuação de seus compatriotas. No entanto, o jornal preferiu destacar a boa tática do técnico gremista Renato Gaúcho. "Renato Gaúcho propôs aos Millonários uma luta dura, sempre desconfortável, longe do controle. Ele domesticou, cortou as presas", analisou.

"O River é um rottweiler acostumado a mostrar os dentes, mas Renato colocou uma coleira e uma focinheira", comparou o jornalista Cristian Grosso, em um texto repleto de elogios ao treinador brasileiro. 

Por fim, o Clarín também postou diversas matérias sobre o confronto. Em uma delas, os argentinos comentam que o time gremista é "um adversário muito ordenado que ninguém soube como atrapalhar por 90 minutos".

Esclarece ainda que a equipe gremista não contou com Luan e Everton. Mesmo assim, "de descafeinado não teve nada". "Eles têm muito claro para que jogam e como fazê-lo (...) Para continuar sonhando com uma passagem para o final, muitas coisas precisam mudar, especialmente do lado do River", decreta.

Em um texto opinativo, o jornalista Daniel Lagares comenta o que precisa ser alterado. "o River precisará jogar o que não jogou no Monumental. E de coragem. E personalidade. E bravura também porque você tem de ser valente para tirar uma equipe brasileira de uma final enquanto joga no Brasil", analisa.

 

MAIS SOBRE:

FutebolGrêmioRenato GaúchoLibertadores [Copa Libertadores da América]River Platefutebol
Comentários