Pai de Neymar rebate Casagrande após críticas: 'Comportamento de abutre'

Jogador foi chamado de monstro e egoísta durante o programa Redação SporTV

Relacionadas

Após a derrota do Paris Saint-Germain por 3 a 1 para o Real Madrid nesta quarta-feira, pela Liga dos Campeões, Neymar recebeu diversas críticas sobre o seu comportamento dentro de campo. Em uma delas, o jogador foi defendido por seu pai, que usou o perfil no Instagram para desabafar.

+ Neymar vira alvo de imprensa europeia após derrota do PSG

+ Viu isso? Galvão perde gol durante a partida entre Real Madrid e PSG

+ Com atuação apagada, Neymar vira piada no Twitter por bolada em juiz

"No universo do futebol conhecemos muitas pessoas com "comportamento de abutre". Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de "jogador" (não dá para chamarmos de "atleta" alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações", escreveu o pai de Neymar.

A mensagem rebateu aos questionamentos de Walter Casagrande durante o programa Redação SporTV. O comentarista chegou a dizer que a imprensa e a torcida brasileira estão criando um monstro. "Ao invés de corrigir o monstro para ele virar gênio. Muita gente acha que eu pego no pé. Eu não pego, tento corrigir", disse Casagrande.

O ex-jogador ainda aumentou suas críticas ao questionar a parceria de Neymar com Cavani e afirmou que a dupla não tem potencial por conta do egoísmo do camisa 10 brasileiro. "No PSG, o Neymar, além de ser excessivamente egoísta, só passa a bola para os outros quando vê que vai perdê-la", afirmou.

Usando uma montagem com a imagem de Neymar e uma fênix, o pai do craque ainda completou seus argumentos para defender o filho dizendo que a guerra não está perdida. "Perdemos uma batalha, quanto a guerra, veremos, porque ela durará enquanto ele estiver nos gramados. E tenham certeza... como uma fênix ele renascerá, preparado para quantos combates vierem pela frente! Quanto a você, abutre, ficará com fome. E restará engolir suas palavras, tão podres quanto a carniça", completou.

Confira a publicação do pai de Neymar na íntegra:

Em uma "guerra" há os que se alimentam de vitórias e há os que, como os abutres, se alimentam da carniça dos derrotados. Nada fazem, nada produzem, vivem do brilho ou, com mais frequência, de momentos difíceis de suas "presas".

No universo do futebol conhecemos muitas pessoas com "comportamento de abutre". Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de "jogador" (não dá para chamarmos de "atleta" alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações.

Aproveitam uma derrota, uma BATALHA perdida, para ficarem a espreita, aguardando a derrota na guerra, para alimentarem seus egos, como os abutres se alimentam de carniça.

Não conseguiram nas Olimpíadas do Rio, mas ficaram ali, aguardando a primeira oportunidade, para trazer seu mau agouro.

Mas lembrem-se: Perdemos uma batalha, não a guerra.

A guerra de meu filho ele "pratica" desde muito jovem, sempre praticando o bom combate, sempre escapando dos abutres, sempre renascendo ainda mais forte!

E, principalmente, respeitando a todos, até mesmo os abutres...

Perdemos uma batalha, quanto a guerra, veremos, porque ela durará enquanto ele estiver nos gramados.

E tenham certeza... como uma fênix ele renascerá, preparado para quantos combates vierem pela frente!

Quanto a você, abutre, ficará com fome. E restará engolir suas palavras, tão podres quanto a carniça.

 

 

Em uma "guerra" há os que se alimentam de vitórias e há os que, como os abutres, se alimentam da carniça dos derrotados. Nada fazem, nada produzem, vivem do brilho ou, com mais frequencia, de momentos difíceis de suas "presas". No universo do futebol conhecemos muitas pessoas com "comportamento de abutre". Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de "jogador" (não dá para chamarmos de "atleta" alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações. Aproveitam uma derrota, uma BATALHA perdida, para ficarem a espreita, aguardando a derrota na guerra, para alimentarem seus egos, como os abutres se alimentam de carniça. Não conseguiram nas Olimpíadas do Rio, mas ficaram ali, aguardando a primeira oportunidade, para trazer seu mau agouro. Mas lembrem-se: Perdemos uma batalha, não a guerra. A guerra de meu filho ele "pratica" desde muito jovem, sempre praticando o bom combate, sempre escapando dos abutres, sempre renascendo ainda mais forte !! E, principalmente, respeitando a todos, até mesmo os abutres... Perdemos uma batalha, quanto a guerra, veremos, porque ela durará enquanto ele estiver nos gramados. E tenham certeza... como uma fênix ele renascerá, preparado para quantos combates vierem pela frente! Quanto a você, abutre, ficará com fome. E restará engolir suas palavras, tão podres quanto a carniça. . @neymarjr @rafaella @jotaamancio @davilucca @nadine.goncalves

Uma publicação compartilhada por Neymar Pai (@neymarpai_) em

MAIS SOBRE:

futebolSportvWalter CasagrandeNeymar
Comentários