Palmeiras publica vídeo para provar inocência de Felipe Melo em briga no Uruguai

Gravação tenta derrubar tese de que gesto do meia brasileiro foi em provocação aos adversários

Relacionadas

Um dia depois da Conmebol anunciar a suspensão preventiva por três partidas de Felipe Melo, devido à confusão entre jogadores do Palmeiras e do Peñarol, após a partida da última quarta-feira, o clube brasileiro divulgou um vídeo na tentativa de provar que o atleta não fez nenhuma provocação aos rivais. 

Publicada no canal oficial da equipe, a gravação mostra outras partidas nas quais o meia levanta os braços ao céu em forma de agradecimento, assim como fez ao término do jogo no Uruguai. Com isso o time tenta rebater o registro do árbitro na súmula, que colocou o brasileiro como o causador da briga generalizada. 

De acordo com documento da Conmebol, divulgado pelo ESPN.com.br, o árbitro paraguaio Enrique Cáceres colcou que "o final do jogo, o senhor Felipe Melo (...) faz um gesto supostamente de saudação ao céu, gerando reação tanto de jogadores titulares como de reservas do Peñarol, na qual pode se individualizar o senhor Matías Mier, camisa 10 da equipe do Peñarol, que, em atitude provocativa, perseguiu o senhor Felipe Melo. Em um dado momento, ocorre uma agressão mútua entre ambos os jogadores com golpes de punho, o que motiva a reação de outros jogadores de ambas as equipes. Foi difícil identificar quem estava envolvido". 

Mesma postura foi seguida pelo delegado da partida: "A partida transcorreu normalmente, sem incidentes, durante o tempo regulamentar e nos minutos adicionais (90+3). Ao término, o jogador de número 30 do Palmeiras, Felipe Melo, foi em direção ao banco dos jogadores do Peñarol e com um gesto de saudação ao céu provocou a reação dos adversários. Notou-se que o jogador número 10 do Peñarol, Matías Mier, começou a perseguir e provocar Felipe Melo, que reagiu com um soco no rosto do jogador do Peñarol, o que acabou gerando atos de agressão mútua e a reação de outros jogadores da equipe local, titulares e reservas, contra os da equipe visitante, além de comissão técnica e auxiliares. Foi uma confusão generalizada, na qual foi difícil identificar quem participou dela". 

MAIS SOBRE:

futebolPalmeirasPeñarolFelipe Melo
Comentários