Pelé lamenta massacres em Suzano e na Nova Zelândia nas redes sociais

Vítimas receberam e continuarão recebendo homenagens antes de eventos esportivos

Relacionadas

Esta semana foi marcada por atos de violência lamentáveis ao redor do mundo. Em Suzano, na grande São Paulo, Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e o adolescente G.T.M., de 17 anos, cometeram um massacre na escola Raul Brasil, matando oito pessoas e cometendo suicídio em seguida. Em Christchurch, na Nova Zelândia, um atirador matou 49 pessoas em uma mesquita antes de ser preso.

Diversos esportistas se manifestaram sobre os atos no Brasil e no mundo. Neste sábado, foi a vez de Pelé publicar em seu twitter sobre os crimes que chocaram o Brasil e o mundo.

"Os atos de terror que vimos no Brasil e na Nova Zelândia nesta semana me deixam muito triste. Se você acha que violência é a resposta, eu peço a você para repensar. Amor é a resposta", escreveu ex-atacante nas redes sociais.

Outro que falou sobre o ato de terror na Nova Zelândia foi Mohamed Salah. O atacante, seguidor do Islã como os alvos do atentado na Nova Zelândia, desejou condolências aos familiares das vítimas que haviam perdido a vida "em um ato de pura maldade".

No Brasil, as vítimas do massacre de Suzano serão homenageadas com minutos de silêncio antes de todas as partidas. O Corinthians convidou a mãe de uma das vítimas a assistir a partida deste domingo, na Arena, contra o Oeste, e uma irmã do mesmo rapaz falecido entrará em campo com os jogadores.

MAIS SOBRE:

futebolPelé [Edson Arantes do Nascimento]Mohamed SalahCorinthians
Comentários