Pelo twitter, torcedores criam movimento LGBT no Inter de Porto Alegre

Intenção é assegurar espaço para os fãs do clube que não sejam heterossexuais

Relacionadas

Através do Twitter, um grupo de torcedores do Internacional se movimentou para criar um movimento que assegure espaço aos torcedores LGBTs do clube nos estádios. Na primeira reunião, ocorrida na última terça-feira, 16, cerca de 20 torcedores compareceram. As informações são do jornal Correio do Povo.

A ideia surgiu por causa de cantos homofóbicos da própria torcida colorada. Thiago Vargas, fã de 21 anos do clube, conta que compartilhou essa vontade nas redes após comparecer ao Gre-Nal da fase de grupos do Campeonato Gaúcho 2019 ao lado do pai, gremista, e perceber que o ofendia ao mesmo tempo em que ofendia a si mesmo.

“Estou acostumado, sempre tive que lidar com preconceito. Algumas respostas afirmando que isso só tem no Grêmio só reforça o quanto isso é importante”, contou Vargas ao jornal gaúcho.

“Infelizmente,  hoje a gente precisa de um espaço. Em um mundo ideal não precisaria, mas enquanto o mundo ideal não acontece, lutamos com as armas que temos. Vamos fazer questão de mostrar que a gente existe”, garantiu o jovem ao diário.

A iniciativa atraiu o apoio também de torcedores heterossexuais. “Fui chamado de tudo, mas não me atinge. Não sou gay, mas não vou deixar de defender essa ideia por causa de uma turma de ignorantes”, conta Tafael Medeiros, jornalista de 29 anos.

Rival do Inter, o Grêmio já teve uma torcida organizada de homossexuais, a Coligay, que esteve presente nos estádios entre 1977 e 1983. Os membros dessa torcida foram alvo de homofobia tanto por parte de rivais colorados quanto por parte dos próprios torcedores gremistas.

MAIS SOBRE:

futebolInter [Sport Club Internacional]Grêmio
Comentários