Pochettino não quis sair de casa por dez dias após final da Liga dos Campeões

Torcedores desconhecidos de Tottenham e Liverpool ajudaram o treinador a lidar com a tristeza elogiando o trabalho feito

Relacionadas

Ficar em casa, na cama, sem vontade de fazer de nada, sem ânimo para nada, apenas tentando esquecer. Poderia ser a descrição de alguém que sofreu uma grande desilusão amorosa, mas também de Mauricio Pochettino após a derrota do Tottenham para o Liverpool na final da Liga dos Campeões 2018-19. O treinador argentino revelou a situação em entrevista ao jornal DailyMail.

“Você sempre tenta analisar, mas no fim a análise é diferente. São os pequenos detalhes que fazem a diferença. As três semanas de preparação foram inacreditáveis e depois você fica muito decepcionado quando perde. Você quer ir para casa. Eu tomei um trem de Madri para Barcelona no dia seguinte. Eu fiquei dez dias em casa e não queria sair. Foi muito difícil porque quase tocamos a glória”, contou o técnico.

Uma das ações para esquecer foi jogar golfe, o que não deu certo. “Tentei por alguns dias, não jogar, só bater na bola. Estava concentrado com meu filho para tentar acertar a bola perfeitamente, mas era impossível. Minha família tentou me levantar, mas eles estavam na mesma situação que eu. Então, eu comecei a seguir em frente”, prosseguiu Pochettino.

Para o treinador, este foi um dos piores momentos no futebol, empatado com a eliminação da Argentina na fase de grupos da Copa de 2002. “Quando perdemos da Inglaterra e empatamos com a Suécia e saímos na fase de grupos. São os piores momentos da minha carreira. Achei que fomos melhor que o Liverpool. Não foi uma grande final, mas os pequenos detalhes fizeram a diferença”, analisou o argentino.

Segundo ele, pessoas desconhecidas também o ajudaram a sair dessa tristeza. “As pessoas que gostavam do nosso trabalho também ajudaram. Na Espanha, torcedores ingleses em restaurantes de Madri, em Ibiza, pessoas de Liverpool e do Tottenham, pessoas diferentes do futebol disseram: ‘Fantástico Tottenham’. Isso começou a criar felicidade novamente porque as pessoas reconheceram que nosso trabalho era fantástico”, contou.

Pochettino ainda afirmou acreditar que o Tottenham é um exemplo para os outros times da Inglaterra, por conseguir competir em igualdade mesmo tendo menos e gastando menos recursos que os outros times do grupo de 'seis grandes' do país, no qual está incluído.

MAIS SOBRE:

futebolLiga dos CampeõesMauricio PochettinoTottenham Hotspur Football Club
Comentários