'Procon' italiano manda Juventus trocar camisas com o nome de Bonucci

Órgão se inspirou em casos similares ocorridos na Inglaterra

Relacionadas

O Coordenação das Associações de Defesa do Meio Ambiente e os Direitos dos Utilizadores e Consumidores (Codacons, na sigla em italiano), órgão para proteção do consumidor, determinou que a Juventus deve trocar as camisas de todos os torcedores que compraram o modelo 2017/18 com o nome de Leonardo Bonucci às costas.

O zagueiro era ídolo na Velha Senhora, mas saiu do clube após brigar com o técnico Massimiliano Allegri e foi negociado com o rival Milan por 40 milhões de euros (R$ 145 milhões). 

"Parece justo permitir que quem comprou a camisa do defensor possa substituí-la por uma camisa com nome de outro atleta da Juventus. Ninguém podia esperar que Bonucci se mudaria em poucos dias para o Milan. Desta forma, ter comprado uma camisa representa um duplo insulto para o torcedor", escreveu o Codacons.

Há precedentes para o caso. Em 2010, um torcedor do Reading, da Inglaterra, entrou na Justiça para ser ressarcido por ter comprado a camisa do islandês Gylfi Sigurdsson, que foi negociado com o Hoffenheim, da Alemanha. James Mcgee obteve 72 libras (R$ 295,20) na justiça, 30 libras (R$ 123) pelas camisas que comprou para si e para seu filho e 42 libras (R$ 172, 20) por danos morais.

Outra situação parecida aconteceu em 2009, também no Reino Unido. O atacante Nicklas Bendtner, então no Arsenal, deixou o número 26 para utilizar o 52, e devolveu o dinheiro a todos os torcedores que haviam comprado sua camisa com a numeração antiga.

MAIS SOBRE:

FutebolJuventusMilanLeonardo Bonucci
Comentários