Prefeita de Cali quer proibir futebol para acabar com violência: 'Muita vergonha'

Torcedores do América e do Deportivo entraram em confronto nesta quarta-feira

Relacionadas

A prefeita da cidade colombiana de Cali, Maurice Armitage, anunciou nesta quinta-feira que, caso a violência provocada por torcedores de futebol continue, suspenderá as partidas para impedir distúrbios como o desta quarta, entre barras bravas do Deportivo e do América locais, que deixaram 30 feridos e 85 detidos.

"O futebol não pode deixar de ser um esporte e se tornar um meio de violência. Se a violência no futebol continuar, eu, como prefeita de Cali, vou proibi-lo", disse Maurice a jornalistas. "A Dimayor precisa entender que em primeiro lugar está a cidade e depois o futebol", acrescentou a prefeita, em referência à Divisão Maior do Futebol Profissional, responsável pela organização do Campeonato Colombiano.

Antes e depois do jogo, válido pela fase inicial da Copa da Colômbia, houve confronto entre fanáticos dos dois times com facas e pistolas, segundo as autoridades. O ocorrido levou a Dimayor a chamar os envolvidos de "criminosos" e a cancelar os sinais por televisão e rádio das partidas entre Atlético Bucaramanga e América, e Deportivo Cali e Millonarios, decisivos para a classificação para as quartas de final do Torneio Apertura. "Queremos expressar a profunda vergonha que o futebol profissional colombiano tem pelo que foi feito por estes criminosos disfarçados de torcedores. Eles não podem ser chamados de barras bravas, são criminosos", disse o presidente da Dimayor, Jorge Perdomo, ao canal "Win Sports".

O dirigente acrescentou que a comissão disciplinar da entidade ordenou que América e Deporitvo Cali disputem seus próximos três próximos jogos como mandantes pela Copa da Colômbia e dois do Campeonato Colombiano sejam disputados sem público. Uma vez cumpridas essas punições, os dois clubes terão fechadas as tribunas norte e sul durante mais duas partidas em casa.

De acordo com as autoridades, os confrontos da noite desta quarta-feira entre torcedores violentos que invadiram o gramado do estádio Pascual Guerrero deixaram 30 feridos e 85 detidos. Além disso, foram apreendidas 51 armas brancas e um grande número de entorpecentes.

MAIS SOBRE:

Futebol Cali Deportivo Cali Futebol violência
Comentários