Presidente da Roma admite que Salah foi uma barganha: 'ninguém estava nos ligando'

James Pallotta também contou que o dono do Liverpool achou que estava pagando muito pelo jogador

Relacionadas

O presidente da Roma, James Pallotta, contou que o dono do Liverpool, John W. Henry, ficou com medo de ter pago uma quantia muito grande por Mohamed Salah. O clube inglês levou o jogador por 39 milhões de libras esterlinas, cerca de R$ 177 milhões.

Azarões? Liverpool e Roma abrem semifinal improvável da Liga dos Campeões

Hipnotizados, torcedores do Barça falham em reconhecer Iniesta, Coutinho e Rakitc

Jogador titular na seleção alemã escolhe ficar em time fadado ao rebaixamento

“John Henry estava meio que chorando um pouco. ‘Nós pagamos muito nele? Eu acho que sim’. E eu disse: ‘Te pago o almoço’”, brincou o norte-americano James Pallotta. Em entrevista à ESPN, o dono da Roma também admitiu que, ao olhar agora, pode se dizer que a venda foi uma barganha inacreditável.

O valor pago corresponde a menos de um quinto do que o Paris Saint-Germain pagou por Neymar ou cerca de um terço do que o Barcelona desembolsou para contar com Philippe Coutinho em seu elenco. Mas, na época, a quantidade não parecia tão absurda. 

Isso pois em duas temporadas pela Roma, Salah marcou 34 gols em 83 jogos. Só nesta temporada, o egípcio já balançou as redes 41 vezes em 46 partidas. Sobre o desempenho do jogador, Pallotta admite que está surpreso. "Nós usávamos ele de uma forma diferente da que o Liverpool usa. Eles descobriram o melhor jeito de utilizá-lo. Nós tínhamos ele como ponta e tínhamos o Dzeko no meio", explicou à ESPN.

"Posso dizer que mais ninguém estava nos ligando por Salah oferecendo algo perto do valor. Então há muitos times que perderam o grande jogador que ele foi nesse ano”, finalizou. 

MAIS SOBRE:

FutebolLiverpool Football ClubLiga dos CampeõesRoma [Associazione Sportiva Roma]
Comentários