Presidente de clube português é suspenso por seis meses por cuspir em rival

Bruno de Carvalho se desentendeu com dirigente do Arouca, que também foi punido

Relacionadas

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) suspendeu durante seis meses o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, acusado de cuspir em um dirigente de uma equipe rival no estádio José Alvalade.

Segundo a imprensa portuguesa, o órgão entendeu que a ação de Carvalho, que alegava ter baforado a fumaça de seu cigarro eletrônico no rosto do rival, prejudicou a honra e a reputação de Carlos Pinho, presidente do Arouca, que também foi punido.

O incidente ocorreu no último dia 6 de novembro, no término de uma partida entre os dois clubes vencida pelo Sporting por 3 a 0. Depois do apito final, Carvalho e Pinto discutiram nos corredores do estádio. As imagens foram captadas pelas câmeras do local e depois divulgadas nas emissoras locais.

Na gravação, Carvalho se aproxima do dirigente rival e faz um movimento semelhante a uma cuspida contra Pinto. O gesto obrigou que outras pessoas intervissem na confusão. O caso gerou muitas críticas em Portugal. Carvalho, desde o início da polêmica, negou ter cuspido no presidente do Arouca e alegou apenas ter lançado a fumaça de seu cigarro eletrônico.

A controvérsia foi concluída nesta quarta, com a decisão do Conselho de Disciplina, que não esclarece o que de fato ocorreu. Apesar de ter sido vítima do suposto cuspe, Pinho foi punido ainda mais severamente do que o adversário. O presidente do Arouca foi suspenso por 20 meses por "dano à honra e à reputação, incitação à indisciplina, agressão e inobservância de outros deveres".

MAIS SOBRE:

FutebolPortugal [Europa]tabagismofutebol
Comentários