Presidente diz que Maradona terá cargo no Napoli quando resolver dívídas com fisco

Ex-jogador argentino aproveitou cerimônia para "alfinetar" Pelé: 'Ele sempre deve terminar em segundo'

Relacionadas

Diego Maradona foi o convidado de honra do aniversário de 30 anos do primeiro título italiano do Napoli. Na cerimônia, realizada nessa segunda-feira, 16, o presidente do clube, Aurélio De Laurentiis, chegou a oferecer o cargo de "embaixador oficial" ao argentino, mas com uma condição: que ele resolva uma dívida de 40 milhões de euros cobrada pelo fisco da Itália, datada dos anos 80.

"Para mim, Maradona é uma lenda. Assim que resolver os problemas de impostos, ele se tornará o nosso embaixador global", disse.

Em entrevistas recentes, o argentino negou ter dívidas com o governo italiano, mas não comentou o assunto durante o evento. "Estou muito feliz de estar aqui com vocês. Essa camiseta me permitiu sonhar", declarou, de acordo com informações das agências EFE e AFP.

Maradona aproveitou a ocasião também para alfinetar o maior rival, em declaração sobre o preço dos convites para o evento: "Algumas pessoas reclamaram de que uma entrada custa 300 euros, mas fizemos isso porque, quando Pelé organiza um evento, ele vende convites a 300 euros. Ele sempre deve terminar em segundo." 

Nesta terça-feira, 17, o ex-jogador participou de uma cerimônia de ingresso no "hall da fama" da Federação de Futebol Italiano (FIGC), em Florença. Também foram homenageados o brasileiro Paulo Roberto Falcão, o presidente do Milan e ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, o ex-zagueiro Giuseppe Bergomi, o técnico Claudio Ranieri, o ex-atacante  Paolo Rossi e a atacante Melania Gabbiadini.

MAIS SOBRE:

FutebolMaradonaPeléNapoliFutebol
Comentários