Projeto reúne os cinco capitães brasileiros nas conquistas das Copas

Cafu, Dunga, Carlos Alberto Torres, Mauro e Bellini estarão presentes em campanha que auxiliará pessoas impactadas pela pandemia do coronavírus

Relacionadas

Os ex-jogadores Cafu, Dunga, Carlos Alberto Torres, Mauro e Bellini, que foram os capitães da seleção brasileira nas conquistas da Copa do Mundo de 2002, 94, 70, 62 e 58, respectivamente, se reunirão na campanha “Olé no Corona”.

O evento tem como intuito ajudar pessoas impactadas pela pandemia do novo coronavírus através do leilão de itens dos campeões mundiais e de outras personalidades do esporte. Além dos capitães da seleção, Pepe, Zico, Falcão, Pelé, Clodoaldo, Mauro Silva, Raí, Edmilson, Rogério Ceni, Alex, Formiga, Sissi, Roseli, René Simões e Ricardo Rocha, também farão parte do projeto.

“Ser o representante dessa campanha que reúne, pela primeira vez, os cinco capitães campeões do mundo e outros grandes ídolos do esporte é motivo de muito orgulho. Todos doaram itens para um leilão online e vamos conseguir ajudar muita gente, esse é o nosso maior objetivo. O ‘Olé no Corona’ conta com a participação de pessoas com alta representatividade mundial, itens históricos, o envolvimento e apoio de grandes marcas e, acima de tudo, com muita transparência. Espero que outros colegas entrem para o nosso time para que possamos ajudar quem realmente precisa”, disse Cafu, capitão do penta, em 2002.

Os fundos arrecadados no leilão virtual, que conta com mais de 120 itens e acontece a partir do dia 19 de agosto, serão auditados e repassados às pessoas de baixa renda impactadas pela pandemia do coronavírus. Além de personalidades do esporte, jornalistas também participarão do evento.

“Quero poder contar com um grande grupo ativo de jornalistas, especializados na cobertura esportiva e de outras editorias, para a doação de itens de acervo pessoal - ligados ao futebol - para disponibilizarmos em nosso leilão. Tê-los, ainda, como parte integrante do projeto, nos auxiliando na conexão com atletas e outras personalidades, gerando maior participação de ídolos do futebol na campanha e, por que não, através de espaços na imprensa para o #olénocorona ter ainda mais visibilidade e conseguirmos ajudar mais pessoas”, explicou Ricardo Setyon, idealizador do projeto.

MAIS SOBRE:

futebolseleção brasileira masculina de futebolcoronavírus
Comentários