PSG ficou insatisfeito com tratamento de lesão no pé de Neymar, diz jornal

Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira que tomou parte na decisão de não fazer cirurgia em 2019, nega reportagem do L'Équipe

Relacionadas

O tratamento realizado no pé de Neymar após a lesão sofrida em janeiro deste ano seria mais um ponto de atrito entre o jogador e o Paris Saint-Germain, segundo o jornal francês L'Équipe. Os dois médicos experientes do clube feito uma recomendação diferente da que foi realizada por Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira. Lasmar negou qualquer problema.

Após analisar exames, Eric Rolland e Gérard Saillant, do PSG, teriam sugerido que Neymar passasse por uma nova cirurgia no local, assim como havia sido feito em 2018. O procedimento faria com que o jogador ficasse afastado dos gramados por seis meses, mas o estafe do jogador teria preferido uma recuperação mais rápida e uma forma menos agressiva de tratar.

Ainda segundo o L'Équipe, Rolland e Saillant teriam concluído que a cirurgia feita em 2018 teria sido mal-feita, tendo sido instalado um parafuso menor que o necessário. Rodrigo Lasmar desmentiu tudo em contato com o site globoesporte.com.

“Eu não vou rebater esse assunto. Eu conheço muito os dois. O Gérard esteve em Belo Horizonte e acompanhou a cirurgia, considerou totalmente satisfatória. O Eric da mesma maneira. Ele conversou comigo várias vezes durante a Copa América. Tenho certeza que os procedimentos foram extremamente bem realizados. Eu não vou discutir esse assunto”, afirmou o médico da seleção brasileira.

Ainda segundo o L'Équipe, o pai de Neymar teria discutido com Saillant, que repetia que uma nova cirurgia era necessária em 2019. Neymar pai teria dito que 'o jogo acabou', se referindo à relação do filho com o PSG.

MAIS SOBRE:

futebolNeymarParis Saint-GermainRodrigo Lasmar
Comentários