Renato Gaúcho decreta feriado e pede estátua: 'Se não sair agora, desisto'

Após título, técnico do Grêmio pediu que acordassem o prefeito da cidade

Relacionadas

Se antes da decisão, Renato Portaluppi manteve seu lado sincero adormecido, ele não economizou na entrevista coletiva após o título da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, 29, em Lanús, na Argentina. 

Primeiro, o maior ídolo da história do Grêmio decretou feriado em Porto Alegre. "Queria que alguém acordasse o prefeito de Porto Alegre. Com todo respeito, seu (Nelson) Marchezan (Júnior). Mas eu, Renato Portaluppi, estou declarando feriado em Porto Alegre. O senhor atenderá nosso pedido. Há um grande clube campeão do mundo e tricampeão da América chegando. Somente curtam", disse, com muito bom humor. 

 

+ Após tri do Grêmio, hospital de Porto Alegre atende pelo menos 169 feridos

+ Melhor jogador da Libertadores, Luan dispara contra Sasha: 'É um c...'

+ Douglas sobre tri: 'Não tive participação ativa no título, mas que se f...'

+ Siga o Fera no Twitter!

 

"Com todo respeito aos colorados, que subiram da Série B. Também podem ficar essa beirinha do feriado também porque o Papai Noel é gremista", completou, provocando o rival Internacional. 

Depois do título Renato também reforçou o seu pedido de estátua no clube. "Ontem (terça-feira, 28) mesmo a pressão começou. Hoje, então, vocês imaginam como está a pressão. Os homens todos que mandam no clube estão aqui. Então, podem deixar que eles estão aqui", declarou na coletiva. "Se não sair a estátua dessa vez, eu desisto." 

 

 

Com os títulos de 1983 e 2017, ambos pelo Grêmio, Renato se tornou o primeiro brasileiro campeão da Libertadores como jogador e treinador. Ainda como atleta do clube, também foi campeão da Copa Intercontinental, em 1983, quando fez dois gols na final contra o Hamburgo. Além disso, levou o time ao vice da Libertadores no ano seguinte, quando perdeu para o Independiente, da Argentina, e ao bicampeonato gaúcho, em 1985 e 1986. 

Renato começou sua terceira passagem como técnico do clube em setembro do ano passado. Antes disso, havia treinado o tricolor entre 2010 e 2011 e em 2013. No total dessas oportunidades, levantou somente um troféu, o da Copa do Brasil de 2016. No entanto, o título acabou com o jejum de 15 anos sem conquistas nacionais do clube. 

O treinador ainda encerrou a coletiva avisando à diretoria do Grêmio que estava dando a si próprio três dias de folga. "Tomo a liberdade de falar para o meu presidente e minha diretoria que estou me dando três dias de folga. Um grande abraço, e somo tri!"

 

+ FERA DO PASSADO: Já ídolo, Renato Gaúcho pode ser o maior do Grêmio

+ Veja as quatro outras decisões disputadas pelo Grêmio na Libertadores

 

 

MAIS SOBRE:

futebolCopa LibertadoresRenato GaúchoGrêmio
Comentários