Repórter é assediada em transmissão ao vivo: 'me apalparam várias vezes'

María Fernanda Mora trabalha pela Fox Sports mexicana

Relacionadas

Mais uma vez ocorreu na frente das câmeras de TV. Desta vez, a vítima do assédio foi a repórter María Fernanda Mora, que trabalha pela Fox Sports mexicana. A jornalista cobria ao vivo festa do Deportivo Guadalajara quando cerca de oito homens começam a cercá-la cantando e pulando. Enquanto isso, Maria foi apalpada seguidamente diversas vezes, conforme ela relatou depois.  

+ Pai coruja fez Pedro Rocha virar estátua de bronze em tamanho real

'Mo Salah! Do doo doodoo': nova canção do Liverpool viraliza nas redes

10 fotos que mostram um Palmeiras unido para vencer dentro da Bombonera

Respondendo um tweet que já foi apagado, a jornalista explicou o ocorrido. "Me apalparam várias vezes enquanto eu estava ao vivo", contou. A reação da jornalista foi pegar o microfone e empurrar o homem que estava atrás dela, sem saber ao certo quem era o rapaz. Ese tipo de comportamento tem sido fraquente contra jornalistas ao vivo. 

Logo a transmissão que cobria o segundo título do clube na competição, 56 anos depois, foi cortada e voltou para a bancada do Central Fox local"Uma situação um tanto complicada", comentou um dos jornalistas que apresentava o jornal. "Lamentável. É inaceitável que os torcedores do Chivas se comportem desta maneira", acrescentou o outro, ainda sem entender direito o que tinha acontecido. 

Algum tempo depois do ocorrido, a repórter, que continuou trabalhando, agradeceu o apoio de seus seguidores em sua conta oficial no Twitter. "Eu aprecio cada mensagem, cada tweet e cada chamada de todos aqueles que mostraram apoio e solidariedade. Vou abordar o assunto com a cabeça mais fria e depois de algumas horas de sono. Mas, na verdade, o apoio foi extremamente reconfortante", escreveu. 

#DeixaElaTrabalhar

No mês de março, um episódio parecido aconteceu a repórter Bruna Dealtry, do Esporte Interativo. Depois disso, jornalistas esportivas se uniram e criaram a campanha intitulada "Deixa Ela Trabalhar", que visa combater o machismo, o assédio moral e sexual sofrido diariamente por essas profissionais. 

MAIS SOBRE:

FutebolFox Sportsmachismo
Comentários