Repórter é surpreendida com beijo na boca ao vivo: 'Mereço ser respeitada'

'Senti na pele a sensação de impotência', revelou depois do episódio

Relacionadas

A repórter Bruna Dealtry, do Esporte Interativo, estava em uma transmissão ao vivo quando foi surpreendida com um beijo na boca dado por um torcedor do Vasco. Na ocasião, ela estava cobrindo o jogo da Libertadores do time carioca contra a Universidade de Chile, que aconteceu nesta terça-feira, em São Januário, no Rio. O Vasco perdeu pelo placar de 1 a 0. 

No Brasil e na Europa: jornalistas mulheres sofreram agressões

A permanência de Mina no Barcelona depende da mulher de Coutinho; entenda

Após cuspir em torcedores, ídolo do Liverpool é punido por emissora; vídeo

Visivelmente espantada, ela conseguiu dizer apenas "isso não foi legal, né? Isso não precisava, mas aconteceu e vamos seguir o baile por aqui". Mais tarde, a profissional escreveu um texto e publicou em sua rede social, junto com o vídeo do episódio lamentável. No texto ela disse estar acostumada a passar por perrengues nas coberturas e que sempre se orgulhou da boa relação com as torcidas e de ser respeitada em seu trabalho. 

"Mas hoje, senti na pele a sensação de impotência que muitas mulheres sentem em estádios, metrôs ou até mesmo andando pelas ruas. Um beijo na boca, sem a minha permissão, enquanto eu exercia a minha profissão, que me deixou sem saber como agir e sem entender como alguém pode se sentir no direito de agir assim. Com certeza o rapaz não sabe o quanto ralei para estar ali (trabalhando na emissora)", desabafou.

Bruna pontua os fins de semana perdidos, dos cursos, estudos, pesquisa e todo esforço que passou para estar em frente  das câmeras de TV em uma transmissão ao vivo, fazendo o que gosta, com respeito e dedicação. "Pelo simples fato de ser uma mulher no meio de uma torcida, nada disso teve valor para ele. Se achou no direito de fazer o que fez. Hoje, me sinto ainda mais triste pelo que aconteceu comigo e pelo que acontece diariamente com muitas mulheres, mas sigo em frente como fiz ao vivo", disse. 

"Sou repórter de futebol, sou mulher e mereço ser respeitada", concluiu. 

MAIS SOBRE:

futebolEsporte InterativoVascomulher
Comentários