Salah doa R$ 13 milhões para reconstruir hospital de combate ao câncer no Egito

Local foi alvo de atentado terrorista que vitimou 20 pessoas na última segunda-feira, 5 de agosto

Relacionadas

Mohamed Salah é um grande ídolo no Egito, não somente por causa do futebol que joga, mas também pelos diversos atos solidários que pratica. E o jogador do Liverpool fez mais um nesta semana: doou o equivalente a R$ 13 milhões ao Instituto Nacional do Câncer, no Cairo, capital do país. Um carro-bomba explodiu na frente do hospital, causando a morte de pelo menos 20 pessoas e ferindo 47 na última segunda-feira.

A doação foi confirmada por Mohamed Ohtan, reitor da Universidade do Cairo, que administra o instituto. Segundo ele, o craque ofereceu 54 milhões de libras egípcias para ajudar a reconstruir o hospital o mais rápido possível. O primeiro-ministro do Egito, Mustafa Madbouly, pediu à população egípcia as doações para que os pacientes possam voltar a ser atendidos no local.

O atentado comprometeu as estruturas do hospital e ele precisou ser evacuado. Ainda não se sabe qual foi o grupo terrorista que realizou o ato, que acabou envolvendo outros três carros. A suspeita é de que sejam grupos opositores ao atual governo, comandado pelo general Abdul Fatah Al-Sisi.

Não é a primeira vez que Salah doa para instituições de saúde: em março de 2018, ele deu R$ 2,2 milhões ao hospital 57357, especializado em câncer infantil, e ele também ajuda a manter o sistema de ambulâncias e comprou várias unidades de incubação hospital para a cidade em que nasceu, na zona rural de Basyoun. No mesmo local, construiu uma escola para os jovens locais. E, durante o Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, o atacante do Liverpool distribui roupas e alimentos para pessoas necessitadas através de sua fundação.

MAIS SOBRE:

futebolMohamed Salah
Comentários