Salah está sendo usado como 'peão político' pelo presidente da Chechênia

Líder checheno, Ramzan Kadyrov, declarou que Salah é cidadão honorário do país

Mohamed Salah foi usado como peão político. Isso mesmo. Apesar do Egito não ter se saído bem em sua primeira Copa do Mundo, com duas derrotas nos dois jogos disputados, o jogador do Liverpool continua estampando manchetes mundiais. Principalmente na Checênia, onde a equipe está concentrada.

Após virar artilheiro da Copa do Mundo, Harry Kane pede música no Fantástico

Chamado de 'homem-bomba', sueco que fez falta em Werner recebe ameaças

Repórter da Globo é assediada ao vivo na Rússia: 'me sinto indefesa'

O líder checheno, Ramzan Kadyrov, declarou que Salah é cidadão honorário do país. O anúncio foi feito durante um jantar em homenagem à seleção egípcia, que está concentrada em Grozny, capital da região, cuja maioria da população é muçulmana.

“Mohamed Salah é cidadão honorário da República da Chechênia! É isso mesmo! Eu entreguei a Mohamed Salah uma cópia de ordem e um broche, em um jantar comemorativo que dei em homenagem à seleção egípcia”, escreveu o líder checheno em sua rede social.

Kadyrov é líder da Chechênia desde 2004. Acusações de repressão política, discriminação sexual às mulheres e perseguição a minorias sexuais são algumas das alegações feitas contra o presidente do país.

De acordo com a CNN, Salah está desconfortável com a imagem projetada pelo líder, afinal, o craque não queria ser usado como ‘peão político’. O jogador deve entrar em campo nesta segunda-feira, na última partida do Egito nesta edição do mundial, contra a Arábia Saudita, às 11h.

 

MAIS SOBRE:

FutebolMohamed SalahCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]Seleção Egípcia masculina de futebolChechênia [Rússia]
Comentários