Santos usa números das camisas em campanha para o dia da consciência negra

Alvinegro traz dados que mostram a desigualdade racial no Brasil durante jogo com o São Paulo

Relacionadas

O Santos fez uma parceria com a ONG Observatório do Racismo para a partida contra o São Paulo, neste sábado, na Vila Belmiro. Aproveitando a proximidade com o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), a equipe utilizou as camisas do atletas para trazer dados sobre a desigualdade racial no Brasil.

Segundo o que o clube publicou em suas redes sociais, a intenção é mostrar como a população negra sofre no Brasil, com os números de como são minoritárias em profissões, formações superiores, a diferença salarial para os brancos. Também trazem dados sobre como são maioria em percentual de homicídios. Veja a lista completa no fim do texto.

Recentemente, o Santos utilizou palavras duras contra preconceituosos em um comunicado à torcida, após atletas do Ceará denunciarem ter sofrido xenofobia na Vila Belmiro. O clube pediu que quem fosse racista, xenófobo ou homofóbico não frequentasse o estádio, porque ali não seria a casa deles.

O Santos enfrenta o São Paulo pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time alvinegro está em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, atrás apenas de Palmeiras e Flamengo, e está próximo de se classificar para a Copa Libertadores. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, foi à Vila Belmiro para acompanhar o jogo.

Os dados utilizados em cada número:

Vanderlei – 1% Advogados

Luiz Felipe – 2% Diretores de filmes

Jorge – 3% Apresentadores de TV

Victor Ferraz – 4% Chefes

Carlos Sánchez – 7% Homens formados

Marinho – 11% Homens em comerciais

Evandro – 12% Ensino Superior

Diego Pituca – 16% Professores Universitários

Lucas Venuto – 17% Médicos

Jobson – 18% Ricos

Tailson – 19% Juízes

João Paulo – 24% Câmara

Eduardo Sasha – 29% Pós-Graduação

Pará – 31% Atores em filmes

Felipe Aguilar – 59% Feminicídios

Alison – 60% Intolerância Religiosa

Felipe Jonatan – 61% Presidiários

Luan – 64% Trabalho Infantil

Uribe – 70% Gravidez na adolescência

Jean Mota – 75% Homicídios

Everson – 79% Mortes Violentas

Gustavo Henrique – 85% Trabalho escravo

MAIS SOBRE:

futebolDia da Consciência NegraSantos Futebol CluberacismoCampeonato Brasileiro de Futebol
Comentários