Suspeita de vínculo com pirataria trava venda do Newcastle

Fundo saudita interessado na compra do clube é suspeito de ligação com canal ilegal de transmissão de jogos

Relacionadas

O processo de aquisição de 80% do Newcastle da Inglaterra por parte de um fundo público de investimento da Arábia Saudita corre riscos de não se concretizar. Segundo o jornal inglês The Guardian, a Organização Mundial do Comércio (WTO, na sigla em inglês) considera que o país asiático tem participação no sustento de canais de televisão piratas que transmitem pela internet jogos do Campeonato Inglês.

A compra avaliada em cerca de R$ 2 bilhões tem como um pivô do entrave o canal pirata beoutQ, responsável por transmitir jogos de várias das principais ligas europeias e suspeito de ter como um dos responsáveis pela operação o próprio governo saudita. Há dois meses o fundo de investimento saudita solicitou ao comando do Campeonato Inglês a autorização para efetivar a compra, mas ainda não teve resposta. Em geral, pedidos do tipo levam somente 30 dias para ser concluídos.

No passado, a Fifa, a Uefa e outras ligas nacionais europeias procuraram processar a beoutQ na Arábia Saudita por transmissão ilegal, mas nenhuma firma de advogados no pais asiático aceitou cuidar do caso. O fundo de investimento interessado na compra do Newcastle tem como responsável o príncipe regente Mohammed bin Salman.

MAIS SOBRE:

futebolCampeonato Inglês de FutebolNewcastle United Football Club
Comentários