Tabu mantido: Brasil nunca ganhou uma Copa sem atletas do SPFC e Palmeiras

A derrota da seleção brasileira por 2 a 1 para a Bélgica encerra o sonho de título na Rússia

Projeto hexa adiado. Mais uma vez. A derrota da seleção brasileira por 2 a 1 nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia encerra o sonho de título e acaba com a expectativa de uma população que quatro anos anos depois da traumática por 7 a 1 para a Alemanha. A Bélgica, depois de 32 anos, está de volta à semifinal de uma Copa e em grande estilo, ao impor ao técnico Tite a primeira derrota em jogos oficiais.

+ Funerária faz promoção 'sinistra' caso seleção belga ganhe do Brasil e avance

+ 'Pipocou': Galvão Bueno reclama de arbitragem em jogo do Brasil

+ O sonho acabou! Seleção brasileira é eliminada pela Bélgica e vira meme

O técnico Tite convocou apenas três jogadores que atuam no Brasil para a Copa do Mundo na Rússia: Cássio e Fagner, do Corinthians, e Pedro Geromel, do Grêmio. É o número mais baixo de atletas que pertencem a clubes nacionais, junto com os elencos das Copas de 2006 e 2010. Mas uma curiosidade chama atenção: em todos os títulos que conquistou, o Brasil tinha jogadores de São Paulo e Palmeiras no elenco.

Os dois são os únicos clubes que estão em todos os títulos da seleção brasileira na Copa do Mundo: 1958, 62, 70, 94 e 2002. Em 1958, o São Paulo tinha Dino Sani, Moacir e De Sordi enquanto o Palmeiras tinha Mazzola no elenco que foi campeão do mundo na Suécia, a primeira grande conquista do Brasil.

Quatro anos depois, Bellini e Jurandir eram jogadores do tricolor enquanto o alviverde cedeu à seleção Djalma Santos, Zequinha e Vavá. Na Copa de 1970, Leão e Baldocchi eram atletas do Palmeiras enquanto Gerson era a estrela do São Paulo. Foi com esses jogadores no elenco que o Brasil ganhou seu terceiro título.

Na campanha do tetracampeonato, o técnico Carlos Alberto Parreira chamou Mazinho e Zinho, do Palmeiras, e Zetti, Cafu, Leonardo e Muller, do São Paulo. Já na Copa de 2002, o técnico Felipão convocou Kaká, Belletti e Rogério Ceni, do São Paulo, e o goleiro Marcos, do Palmeiras.

MAIS SOBRE:

FutebolAlemanha [Europa]Galvão BuenoBélgica [Europa]TiteBrasil [América do Sul]CássioFagner [futebol]CorinthiansPalmeirasRogério CeniMarcosseleção brasileira masculina de futebolSão Paulo Futebol ClubeCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]
Comentários