Time suíço demite atletas que rejeitaram proposta de emprego parcial

Nove jogadores do Sion tiveram os contratos encerrados por não aceitarem reajuste salarial durante a pandemia

Relacionadas

O Sion, time da elite da futebol suíço, demitiu na última quinta-feira nove jogadores que não quiseram aceitar a proposta de emprego parcial pela diretoria do clube. Segundo a agência de notícias suíça ATS, os atletas recusaram ter os salários reduzidos enquanto o calendário esportivo local estiver paralisado para evitar o contágio do novo coronavírus.

A lista de jogadores demitidos tem: Pajtim Kasami, Alex Song, Ermir Lenjani, Xavier Kouassi, Seydou Doumbia, Mickaël Facchinetti, Christian Zock, Birama Ndoye e Johan Djourou. A demissão já foi assinada pelo presidente do clube, Christian Constantis. Atualmente o Sion está na oitava posição do campeonato local com 23 pontos. O líder é o St. Gallen, com 45.

Com mais de 2 mil casos de coronavírus, a Suíça é um dos países europeus mais afetados pela pandemia. Para frear o contágio, o país decretou o fechamento do comércio e tem recomendado que as pessoas não devem sair de casa, a não ser para atividades essenciais.

MAIS SOBRE:

futebolcoronavírusSuíça [Europa]
Comentários