Treinador da Argentina revela sonho de vencer a Copa e entregar taça ao Papa

Em entrevista, Edgardo Bauza elogiou Lucas Pratto e disse sonhar com título mundial conquistado com Messi de capitão

Relacionadas

O técnico Edgardo Bauza tem uma carta na manga que até Tite já assumiu cobiçar: contar com Lionel Messi em seu time. Em entrevista à agência AFP, o treinador disse se imaginar "levando a taça da Copa do Mundo ao Papa Francisco, com Messi de capitão". 

Como é ser treinador da Argentina e, principalmente, de Lionel Messi?

É algo muito importante, porque, na Argentina, somos fundamentalistas da seleção. Eu convivo com a pressão, porque aqui temos que ganhar sempre e às vezes nem assim diminuem as críticas, porque tem que jogar bem e algumas vezes não se alcança isso. E ter Leo Messi não é pressão, é uma vantagem.

A Argentina precisa de Messi feliz?

O jogador de futebol é feliz quando joga uma partida e ganha, mas passa por etapas onde não está tão feliz. Eu o vejo feliz no Barcelona, junto de sua família e tudo. Obviamente que se Leo está contente, seu rendimento pode ser melhor. 

Conta a lenda que Pep Guardiola, ex-treinador do Barcelona, disse que nunca se pode tirar Messi de campo, você concorda? 

Ele não gosta de sair, quer estar em campo sempre. Inclusive essa é uma das coisas que mais o pressiona: quer jogar sempre e não quer descansar nunca. Isso parte de sua personalidade.

Por que você acha que ainda não foi renovado o contrato de Messi com o Barcelona?

Não quero me meter nesse tema. Com certeza, o que ele decidir será o melhor para ele. Jogue no Barcelona, no Manchester City, onde seja, para mim, será o mesmo. O importante é que a decisão seja dele. Me interessa que ele jogue e nada mais. 

Como vê Messi qualitativamente na história?

Eu o vejo como um dos melhores da história do futebol. Por isso vamos batalhar para chegar à final da Copa do Mundo e ganhá-la. Isso terminaria de catapultá-lo entre os melhores. Há alguns que se atrevem a dizer que não é o melhor porque nunca ganhou nada pela Argentina. E não é assim. Querem compará-lo a Diego Maradona, mas ele jogava outro tipo de futebol. 

O que você acha das críticas contra Sergio Agüero e Gonzalo Higuaín na seleção?

Creio que nós argentinos somos muito exigentes e que julgamos apenas pelo resultado. O argentino é assim, fanático e duro. 

Por que não convocar Mauro Icardi (da Internazionale)?

Hoje, o titular é Higuaín e também há o Lucas Pratto (do São Paulo). Em qualquer momento, chegara a vez de Icardi. Estamos o acompanhando assim como acompanhamos a outros.

Dói saber que Maradona te chamou de traidor por se reunir com Icardi?

As palavras chegaram a mim, mas não doeram. Diego é um pedaço da história da seleção e pode pensar e dizer o que quiser. Não vou contestá-lo. 

O futuro da seleção é o jogador da Juventus Paulo Dybala?

Acho que ele já está quase consagrado. Pela sua juventude, pode terminar de se consagrar no próximo Mundial.

Como vê a Di María, estrela do PSG?

O vejo contente no clube. Saiu de uma fase em que era difícil fazer gol e isso lhe vai dar tranquilidade, que é o que necessita. Ele, com tranquilidade, pode nos dar muitas coisas.

O que acha do momento atual do futebol argentino, com clubes quase quebrados e com um torneio que não começa?

O problema do futebol argentino não atrapalha a seleção. Não a está contaminando. Cerca de 90% dos jogadores estão no exterior, em clubes de primeira linha. 

Vai pedir ajuda ao Papa Francisco para ganhar a Copa do Mundo?

Não, ajuda não vou pedir, porque ele já tem problemas demais. Mas me imagino levando a taça da Copa do Mundo e dando na mão dele, com Messi de capitão. Não me imagino nessa profissão se não sonho em ser campeão.

MAIS SOBRE:

futebolEdgardo BauzaMessiArgentinaLucas Prado
Comentários