Três meses após tragédia, Chape é fenômeno comercial em Medellín

Camisas e outros artigos da equipe fazem muito sucesso no comércio da cidade, que também ganhou bar temático em homenagem ao time catarinense

Relacionadas

A Chapecoense entrou mesmo para a história de Medellín, na Colômbia, cidade onde a equipe continua sendo um verdadeiro fenômeno comercial, três meses após a tragédia, ocorrida em 28 de novembro.

Camisas (em sua maioria, piratas) e outros artigos como broches, cachecóis, boné e até mesmo adereços para cadarço de tênis continuam com muita procura no comércio local, mostra reportagem do portal UOL Esporte.

Em alguns locais, é mais fácil encontrar uma camisa da Chape, que custa uma média de R$ 33, do que um exemplar de equipes grandes da Colômbia, como Atlético Nacional ou Millonarios.

Pertinho do Estádio Atanásio Girardot, onde ocorreria a partida final da Copa Sul-Americana, região onde as homenagens à equipe brasileira ainda são lembradas com emoção, o casal Veronica Peña e Juan David abriu o Café Bar Chapecoense.

Para atrair torcedores de todas as bandeiras, o estabelecimento, que iria se chamar 'Vermelho e Verde', por conta das cores das equipes locais, Independiente Medellín e Nacional, acabou mudando de foco e "adotando" a Chape.

"Queremos permitir a todas as pessoas que gostam desse esporte que venham e se lembrem desses heróis da vida. Foi algo que marcou a todos nós", relata Juan.

Uma das paredes do bar mostra fotos de todos os atletas que estavam no voo da Lamia - os mortos em preto e branco e os sobreviventes em cores.

MAIS SOBRE:

futebolChapecoenseColômbiaAtlético NacionalCopa Sul-Americana
Comentários