'Trump não tem nada melhor para fazer?', questiona namorada de Rapinoe

Sue Bird, jogadora de basquete da WNBA, diz que concorda com as atitudes da futebolista, mas expressa suas visões de outra forma

Relacionadas

Depois da meiocampista da seleção norte-americana Megan Rapinoe dizer que não iria para a p**** da Casa Branca se ganhasse a Copa do Mundo Feminina e Donald Trump reagir, a namorada da jogadora, Sue Bird, se manifestou sobre o assunto e questionou se o presidente dos Estados Unidos não teria nada melhor para fazer. Bird é jogadora de basquete e atua no Seattle Storms, da WNBA.

"O que fazer quando o presidente dos Estados Unidos reage como um adolescente contra a sua namorada? Bom... é muito raro. Teve uma reação normal: me assustei um pouco. Nossas (de Bird e Rapinoe) tendências políticas são similares, mas não nossa forma de externar. Depois de ganhar o título da WNBA na temporada passada, de maneira nenhuma iríamos para a (p**** da) Casa Branca", começou Bird no site The Players Tribune, que reúne textos escritos por atletas.

"É sério, esse cara? Não tem nada mais importante para dedicar seu tempo? Seria algo para rir se não fosse algo tão grotesco e suas decisões políticas não afetassem a tantos inocentes. E o que realmente assusta é que não são somente os tweets dele, de repente chegam os apoiadores aparecendo de forma hostil nas menções, escrevendo coisas horríveis sobre uma pessoa que você ama. E agora há ataques na Fox News e quem sabe onde mais", prosseguiu a jogadora de basquete.

"Mas não tem forma de abalar a Megan. Ela fara o dela, na sua velocidade, no seu ritmo, e não pedirá desculpas por nada. Quando os ataques de Trump começaram na semana passada, ela não estava nada preocupada. Não estou dizendo isso para desviar a atenção, mas a Megan é nível 'chefe de videogame' em autoconhecimento. Eu acho que a sensibilidade de Megan é o que a leva a lutar pelos outros. ", finalizou Bird, ressaltando o orgulho que sente da namorada

A declaração de Rapinoe foi entre o jogo das oitavas de final, no qual fez dois gols contra a Espanha na vitória por 2 a 1, e as quartas, na qual fez dois gols contra a França em outra vitória por 2 a 1. No entanto, ela perdeu a braçadeira de capitã da equipe. Rapinoe não jogou na semifinal devido a uma lesão, mas o EUA venceu a Inglaterra por 2 a 1.

Rapinoe é uma crítica ferrenha de Donald Trump e suas políticas. A atleta é uma ativista LGBT e também apoia a luta pela igualdade racial e de gênero - chegou a processar a federação norte-americana de futebol por pagamentos de prêmios iguais entre os times masculino e feminino.

MAIS SOBRE:

futebol femininoMegan RapinoeDonald TrumpCopa do Mundo 2019 França [futebol feminino]seleção norte-americana feminina de futebol
Comentários