Van Persie revela história inusitada de como conseguiu camisa de Ronaldo

Ex-atacante holandês é fã do craque brasileiro e encontro aconteceu em um jogo em Milão

Relacionadas

Fã declarado de Ronaldo, o holandês Robin Van Persie contou uma história inusitada envolvendo ele, o craque brasileiro e Clarence Seedorf. Em conversa com a emissora inglês "BT Sport", da qual também é comentarista, o ex-atacante holandês relembrou  como conseguiu uma camisa do seu ídolo.

Ao exibir parte de sua coleção de camisas, Van Persie citou a usada por Ronaldo, com o número 9, na Inter de Milão, como uma das mais especiais de seu acervo. Para conseguí-la, o holandês, então com 19 anos e atuando no Feyernoord, precisou da ajuda de Seedorf, durante um jogo da Liga Europa em 2002 entre seu time e a equipe italiana.

"Essa é uma história engraçada. Jogamos contra a Inter de Milão, no San Siro. Depois do jogo, eu foi até Clarence Seedorf para pedir a camisa, mas Clarence achou que eu queria a camisa dele", contou Van Persie. "Ele começou a tirar a camisa, e eu tive que falar: 'Clarence, desculpe, sou um grande fã seu, mas pode me ajudar com uma camisa do Ronaldo?'", relembrou, aos risos.

Seedorf e Ronaldo eram companheiros na Inter de Milão. Van Persie estava começando a carreira no Feyenoord. Após vencer o primeiro duelo e empatar o segundo das semifinais, o time holandês avançou à final da competição para, depois, ser campeão em cima do Borussia Dortmund naquele ano. No entanto, o que realmente importava para o jovem holandês, naquele período, era conseguiu uma camisa do ídolo Ronaldo.

"Então ele (Seedorf) ficou meio assim... Colocou a camisa de volta e disse: 'sim, claro, eu ajudo'. Fomos até o Ronaldo, e acho que conversaram em português, e ele me deu a camisa da partida. Ele tinha umas cinco, seis, que deu para meus colegas, mas eu fiquei com a camisa do jogo, porque ele a tirou, deu para Clarence, que me deu", disse o ex-atacante de Arsenal e Manchester United, aposentado dos gramados desde o ano passado.

Van Persie e Ronaldo voltariam a se encontrar em outra ocasião. Quando teve mais uma chance, o holandês aproveitou. Ele contou, dessa vez, com a ajuda de outro brasileiro, André Santos, seu ex-companheiro no Arsenal entre 2011 e 2012, que o levou para jantar com o ídolo.

A história não termina aí. O ex-atacante da seleção holandesa contou com a ajuda de outra pessoa para autografar a sua preciosidade. Dessa vez, o favor veio de um brasileiro, André Santos, com quem jogou no Arsenal entre 2011 e 2012. O ex-lateral o levou para um jantar com Ronaldo.

"Anos depois, quando joguei com André Santos, ele sabia que eu era um grande fã do Ronaldo. Um dia, ele disse: 'Ronaldo está em Londres. Vamos jantar juntos'. E eu, 'claro!'. Mas então levei a camisa, que já estava enquadrada, mas não tinha a assinatura. Então, como podem ver, tem a assinatura no vidro do quadro", recordou.

MAIS SOBRE:

Comentários